Maquiadores dão dicas de como montar um kit básico de produtos sem cair em armadilhas do consumismo

Isabela Leal
Do UOL, em São Paulo

  • Thinkstock

    Diante da imensa variedade de produtos disponíveis no mercado, você sabe o que escolher?

    Diante da imensa variedade de produtos disponíveis no mercado, você sabe o que escolher?

A indústria de cosméticos lança novidades em uma velocidade que é impossível acompanhar – não é à toa que o Brasil é o terceiro país no ranking de consumo de maquiagem no mundo, perdendo apenas para Estados Unidos e Japão, de acordo com o Euromonitor, instituto internacional que audita o mercado de higiene pessoal em mais de 120 países. Mas não é por isso que você precisa ter uma penteadeira repleta de maquiagens de cores e texturas inusitadas. Na prática, esse arsenal só serve para confundir, já que – no dia a dia – a grande maioria das mulheres acabam utilizando sempre os mesmos itens.

Mas ainda assim, variando pouco, é quase incontrolável o impulso de consumir e na primeira oportunidade que têm elas acabam comprando alguma coisa – e as justificativas para esse ato são as mais variadas (e descabidas). “Costumo dizer que o produto é para a mulher usar, não a gaveta. Tem gente que compra três lápis da mesma marca e cor porque tem medo do produto sair de linha. Tem as que compram porque gostam da embalagem, mas nem experimentam o produto. E outras que fazem estoque de produtos em viagens achando que aquela será a última viagem da vida. Talvez uma boa saída para essa compulsão seja considerar que outras cores e estilos sempre surgem e podem ser ainda mais interessantes”, pondera o maquiador Marcos Costa,  blogueiro do UOL e responsável pela beleza de vários desfiles da última edição do São Paulo Fashion Week.

Na hora de escolher os produtos para compor um nécessaire de maquiagem, vale a pena investir em tons clássicos, como os terrosos, nudes e rosas, ideais para o dia a dia e complementá-los com uma ou outra cor diferente, mais viva, ou com um efeito de brilho, por exemplo, para as ocasiões especiais. Quando o assunto é maquiagem, seguir tendências, pode ser arriscado. “Temos que tomar muito cuidado com modismos. O que fica bem em uma modelo de um editorial ou de publicidade, por exemplo, não significa que vai ficar bem em todas as mulheres. Antes de tudo, é preciso olhar no espelho e se sentir bem”, acredita a maquiadora Nádia Tambasco, do salão Marcos Proença, de São Paulo. “Maquiagem é para embelezar, trazer autoconfiança e não mostrar que a mulher está antenada com as últimas novidades”, acrescenta a maquiadora e professora de automaquiagem Simone Barcelos, proprietária da Skin School, de São Paulo.

Produtos 2 em 1: utilidade relativa

Difícil alguém que nunca se perguntou se é realmente útil o mesmo produto servir como batom e blush, base e pó, blush e sombra e outras tantas combinações. Muitas vezes o que acontece é a mulher acabar usando apenas um dos efeitos do cosmético, só como blush ou só como batom, por exemplo. “Esse é um caso típico de que é preciso testar e experimentar porque, no geral, os produtos 3 em 1 ou 2 em 1 deixam a desejar. São poucos os que têm uma boa performance nas duas ou três versões e em muitos casos, a saída é usar somente uma das funções. O que eu recomendo nesse sentido são as bases que agregam função de pó e corretivo, por exemplo, nessa categoria existem boas opções no mercado, que funcionam bem na prática”, explica Marcos Costa. A maquiadora Simone Barcelos, acrescenta: “Os produtos com mais de uma função nem sempre têm a textura correta para ser usado em duas regiões do rosto. Um batom que vira blush, por exemplo, se for macio para os lábios ficará muito brilhante nas bochechas, e se for sequinho nas bochechas pode ficar muito ressecado nos lábios. Claro que isso vai depender do tipo de pele e do efeito que se deseja. Produtos cremosos muitas vezes, quando são aplicados nas pálpebras, se acumulam nas dobrinhas da pele, por isso só utilizo nessa região as versões feitas exclusivamente para essa área, que são aqueles produtos cremosos que em contato com a pele secam”, explica a maquiadora.

Internet – uma tentação
Nunca esteve tão fácil comprar como hoje, tanto na questão do acesso aos produtos quanto no fator preço. E nesse contexto, a internet teve uma participação enorme com os sites de marcas importadas, que enviam para o Brasil, e principalmente aqueles sites daqui que parcelam em dez vezes ou mais, que há algum tempo virou febre. Com tanta facilidade, o ato de comprar se torna irresistível, por isso é preciso ter bom senso. “É instantâneo, quando vemos na internet algum lançamento vem na hora o desejo de ter, mas é preciso pensar se é necessário, se vai realmente usar e, o principal, se não é superparecido com aquele que está na gaveta e nunca foi usado. Isso é muito comum”, diz Nádia Tambasco.

No universo da maquiagem, a escolha de um produto requer dois critérios essenciais: o da utilidade e o de se sentir bem. Nada é mais importante para um item de pintura do que ser útil e trazer confiança a quem usa. Mas como saber sem experimentar? “Essa é uma das razões que me faz pensar duas vezes antes de comprar pela internet. Se o produto for uma novidade não existe a opção de pegá-lo nas mãos, sentir, visualizar, experimentar e analisar se vale a pena. Mas quando é um produto conhecido, com um preço legal, eu acho válido”, justifica Simone Barcelos.

Paleta de sombras
Outra opção para fugir das compras desnecessárias é lançar mão de alguns truques. Um deles é unir praticidade e versatilidade, como os kits de sombras. De acordo com os maquiadores, os estojos com mais de uma cor ainda são um bom investimento. “O segredo é escolher os tons certos, de acordo com o tom de pele e a preferência. Com uma paleta dá para fazer diversos looks e geralmente o custo compensa”, ressalta Simone Barcelos. “Uma boa dica é apostar nas cores coringas. Combinações de marrons e beges; preto, grafite e prata; azul e pérola; e as nuances de verde, sempre mais clássicas, são as mais indicadas, desta forma dá para usar todas. Se quiser arriscar alguma cor da moda é melhor investir em estojo individual”, sugere Marcos Costa.

Do básico ao glamour com pouco

Veja algumas dicas para você aproveitar melhor suas maquiagens e evitar o consumo exagerado
• Invista em cores nudes, aquelas semelhantes à cor da pele, isso vale para todas as categorias, batom, blush e sombras. E se você for daquelas que se sente pálida com esses tons, invista nas nuances de rosa ou pêssego. As morenas podem usar o bom e velho marrom.
• Outro investimento fundamental é a dupla base e corretivo. Uma pele bem preparada faz toda a diferença nas cores e efeitos que vêm depois.
• Você só precisa de uma ou duas cores de batom que sejam diferentes das habituais. Elas resolvem muito bem o dilema das ocasiões especiais.
• Quando for viajar ou pedir para uma amiga trazer algo de outro país, pense bem antes de comprar, muitas vezes não há a menor necessidade e isso pode ser mais um hábito do que, digamos, “um desejo ou uma necessidade”.
• Evite modismos. Não faz sentido utilizar uma maquiagem que ao contrário de te deixar segura, vai trazer insegurança. O preço de seguir tendências pode até comprometer sua personalidade.
• Pintar os olhos é um recurso que deixa a maquiagem mais sofisticada. Nesse caso, basta uma sombra nacarada (com partículas de brilho) preta ou grafite para dar um toque de luxo. Mesmo assim é possível criar um look mais chique usando as mesmas cores habituais (ou no máximo aquela cor da paleta que você nunca usa, já pensou nisso?). Basta “pesar” mais no esfumado do canto externo ou explorar a pálpebra inferior com um traço de delineador, sombra ou lápis – produtos que, provavelmente, você já tem no nécessaire.

 

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos