Dossiê limpeza de pele: especialistas explicam benefícios e dão dicas para prolongar resultados

Isabela Leal
Do UOL, em São Paulo

  • Thinkstock

    Indicada para a remoção de cravos e células mortas, a limpeza profissional deixa a pele mais homogênea e saudável

    Indicada para a remoção de cravos e células mortas, a limpeza profissional deixa a pele mais homogênea e saudável

Uma limpeza de pele bem feita pode ser a garantia de um rosto renovado. Sim, pele lisinha, profundamente limpa e livre dos sinais de acne. O procedimento é uma técnica eficiente para dar fim às células mortas da camada superficial, o que na prática significa mais saúde, higiene e beleza para a cútis. Não à toa, esse tipo de tratamento envolve alguns aspectos importantes, como a frequência com que deve ser realizado, quem pode fazer, que tipos de pele se beneficiam mais, e alguns cuidados cotidianos e pós-procedimento que favorecem e prolongam os resultados. Para esclarecer esses e outros fatores, UOL conversou com três profissionais, com vasto conhecimento sobre o assunto: o dermatologista Marcelo Bellini, diretor da Clínica Corpo em Evidência; a esteticista Cristina Amedor Pedrosa Pedro, docente do curso técnico em Estética do Senac Osasco; e a dermatologista Paula Penna – todos de São Paulo.

Quais são os principais benefícios da limpeza de pele?
Marcelo Bellini: A limpeza de pele é indicada, principalmente, para remoção de cravos abertos (pontos pretos) ou fechados (pontos brancos), remoção de milio (cravos resistentes, cobertos por uma fina camada de pele) e pontos sebáceos. Serve também para desintoxicar, remover as células mortas e manter a pele macia e saudável, reduzindo a oleosidade. Ao contrário do que muitos pensam, a limpeza é contraindicada para remover espinhas, pois pode deixar cicatrizes, além de inflamar e agravar o quadro de acne.

Com que frequência deve ser feita?
Marcelo Bellini: Em geral, indicamos a cada 30 ou 40 dias, que é o intervalo de renovação da pele. Já nos casos de acne com muitos cravos, inicialmente indicamos uma vez a cada 15 dias e, depois, passamos para uma vez a cada 40 dias, como manutenção.
Paula Penna: Se for uma pele com muitos cravos, pode ser até uma vez por mês. Agora, quem estiver usando creme com agentes esfoliantes e não tiver cravos, muitas vezes, nem é preciso fazer a limpeza de pele.

Existe alguma contraindicação?
Marcelo Bellini: A limpeza de pele não é recomendada para peles muito sensíveis, aquelas que ficam vermelhas com facilidade, que sob o sol fazem rubor; as com muita descamação, e que costumam desenvolver alergias e irritações com facilidade. Além das peles com muita espinha.

Para aquelas pessoas que fazem raramente, existe uma época do ano que seja melhor fazer a limpeza de pele?
Marcelo Bellini: Não. O único cuidado que se deve ter é o de não tomar sol por dois ou três dias após a limpeza.
Paula Penna: Geralmente no verão ou logo após voltar da praia são períodos indicados, pois o calor e o uso do protetor solar várias vezes por dia, que é o correto, acabam deixando a pele com mais cravos e mais oleosa, o que, em muitos casos, a torna mais grossa e pesada.

Quanto ao tipo de pele, alguma se beneficia mais e outra menos com a limpeza de pele?
Cristina Pedro: Todos os tipos de pele recebem muito bem esse procedimento. A limpeza bem realizada ajuda no equilíbrio das peles seca, normal, oleosa e mista, pois limpar a cútis não significa apenas tirar comedões (cravos) e acne, mas sim remover células mortas, o que uniformiza e melhora o aspecto da pele.
Paula Penna: Sim, quem tem a pele mais oleosa, pois é quem acaba tendo mais cravos. A pele mais seca acaba se beneficiando mais com as hidratações, feitas com uma esfoliação prévia, para afinar a pele e facilitar a absorção dos hidratantes.  

É verdade que quem tem muita espinha deve evitar o procedimento?
Marcelo Bellini: Sim, pois podem deixar cicatrizes. O correto é realizar um tratamento secativo com uso de medicamentos tópicos e orais. Sessões semanais com luzes de LED – que controlam a atividade sebácea, possuem ação secativa e reduzem as inflamações – associadas com máscaras secativas também são recomendadas. Pode ser realizado também peeling de ácido salicílico. Todos devem ser feitos em consultório com um dermatologista.
Paula Penna: Se as espinhas estiverem muito infeccionadas sim, pois a pele pode estar contaminada e, mesmo com a correta higienização, pode acontecer de espalhar essas bactérias.

Quais profissionais são habilitados para fazer uma limpeza de pele?

  • Thinkstock

    Especialistas ressaltam que a limpeza de pele deve ser feita apenas por profissionais treinados

Marcelo Bellini: Esteticistas com boa formação e fisioterapeutas com formação dermatofuncional. Pois estes profissionais possuem treinamento específico para identificar os problemas e realizar o tratamento da melhor maneira possível.

Existe alguma maneira de escolher corretamente uma esteticista para esse procedimento?
Marcelo Bellini: Por meio da indicação de alguém que já tenha realizado o procedimento e, geralmente, esteticistas que trabalham em clínicas dermatológicas.
Cristina Pedro: Dar preferência a profissionais com formação técnica em cursos profissionalizantes.

A pele se renova a cada 28 dias. Qual a relação desse ciclo com a importância da limpeza de pele?
Marcelo Bellini: É fundamental realizar no intervalo de 30 a 40 dias uma nova limpeza, para desintoxicar, remover células mortas e controlar a oleosidade.
Cristina Pedro: Esse é o período indicado para a realização da limpeza, pois o processo torna-se mais efetivo, já que a cada 28 dias as células matrizes da epiderme geram novas células que chegam à superfície nesse período, o que torna mais eficaz a ação da limpeza de pele.

Alguma dica para a higienização do rosto em casa, nos dias após a limpeza de pele?
Cristina Pedro: É importante realizar os cuidados diários para higienizar a pele. Cuidar da pele deve ser um hábito realizado pelo menos duas vezes ao dia. Isso favorece uma pele saudável. Para os cuidados diários, os produtos devem respeitar o biotipo de pele (seca, oleosa...). Os cuidados diários são: higienizar e demaquilar, para tirar as impurezas e maquiagem; tonificar, para equilibrar o pH; hidratar ou nutrir a pele, acompanhado com fator de proteção solar adequado (de dia).

Quem nunca faz limpeza de pele, deve fazer algum procedimento específico regularmente em casa para evitar poros entupidos e acúmulo de células mortas?
Paula Penna:
Sim, pode usar um creme noturno com poder esfoliante, como os que contêm ácido retinoico, glicólico ou salicílico, indicado por um dermatologista. Ou fazer algum tipo de esfoliação com sabonete abrasivo ou com bucha específica para o rosto, uma vez por semana, seguida de uma hidratação.

É verdade que se deve evitar a aplicação de produtos oleosos e à base de ácidos nos dias posteriores à limpeza de pele?
Paula Penna: Isso depende do tipo de pele. Se for seca, os produtos mais oleosos são liberados; se for oleosa, são proibidos. Alguns produtos muito oleosos como óleo de amêndoas, não são recomendados nunca, nem para quem tem a pele muito seca, pois acabam entupindo os poros. O uso de ácidos deve ser evitado logo após a limpeza de pele se a pessoa tiver a pele muito sensível e vermelha, para que a irritação não piore.

Por que é melhor evitar a limpeza de pele quando a pessoa se expõe ao sol?
Paula Penna: O melhor seria evitar a limpeza de pele antes da pessoa se expor ao sol, pois, geralmente, acabamos esfoliando e afinando a pele junto com a limpeza e a cútis mais fina pode manchar com o sol, principalmente se ela estiver vermelha e irritada.

Gestantes podem fazer limpeza de pele?
Marcelo Bellini: A limpeza de pele não é contraindicada para gestantes, no entanto deve-se evitar o uso de produtos que contenham ácidos, que são absorvidos pela pele. É importante também evitar a exposição ao sol logo após a limpeza, pois é maior a chance de manchar a pele.

 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos