Alisamento sem formol é possível; conheça as técnicas mais eficazes para cada tipo de fio

Isabela Leal
Do UOL, em São Paulo

A mulher brasileira tem verdadeira paixão pelo cabelo liso -de cada dez, pelo menos oito querem fios retos. O problema é que dessas oito, 80% tem fios originalmente ondulados ou cacheados. Uma pesquisa realizada por um dos maiores fabricantes de xampu do mundo mostra que, no Brasil, 42% das mulheres têm cabelo liso, sendo apenas 19% desses são naturais. O estudo indica também que 61% das mulheres buscam de alguma forma ter cabelos lisos, enquanto 57% já tomou a iniciativa de alisá-los quimicamente. E o movimento dos salões comprova isso: existem cada vez mais produtos e técnicas que alisam os cabelos em minutos.

Nessa busca pelo liso perfeito, algumas se submetem aos métodos à base de formol que, embora proibido, ainda é bastante procurado. Mas os riscos existem. Entre outras coisas, a substância é considerada cancerígena pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Tanto o profissional quanto a cliente correm perigo. A dermatologista Roberta Bibas, do Rio de Janeiro, relaciona alergia, coceira, queimadura, ardência, falta de ar, tosse e dor de cabeça como alguns dos desconfortos que o produto causa. Ela explica que, em longo prazo, quem se expõe de forma repetitiva e prolongada à substância pode notar boca amarga, dor de barriga, enjôo, vômitos, desmaios, feridas na boca, narina e olhos e, nos casos mais graves, pode ter um câncer de nariz, faringe, laringe ou brônquios, enfermidade que pode levar à morte. “E quem se submete ao procedimento pode ter descamação e vermelhidão do couro cabeludo e quebra da haste capilar”, alerta a médica.

Alternativas mais seguras

A batalha para tornar possível o sonho de ter madeixas lisas é acirrada. Fabricantes, profissionais de salão e cabeleireiros estão cada vez mais afinados para oferecer opções de alisamento mais seguras e quem ganha é a consumidora.

Por isso, é importante se informar antes de experimentar qualquer técnica de alisamento. “É essencial salientar que os produtos alisantes devem ser registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária [Anvisa]", diz Roberta Bibas. Segundo a dermatologista, existem substâncias ativas específicas com propriedades alisantes permitidas pela legislação, que agridem menos e representam menos riscos. A lista inclui carbocisteína, ácido tioglicólico, hidróxido de sódio, tioglicolato de amônio, hidróxido de potássio, hidróxido de lítio, hidróxido de guanidina. Antes de qualquer coisa, no entanto, é fundamental escolher um salão renomado, tradicional, que cumpra as normas da Anvisa e que tenha uma equipe de profissionais sérios e responsáveis, que não compactuem com o uso do formol.

Para ajudar quem quer aderir aos lisos sem prejudicar a saúde, UOL Beleza selecionou as técnicas mais modernas e eficazes disponíveis no mercado nacional, veja as opções abaixo de acordo com seu tipo de cabelo, saiba como elas funcionam e quanto custam em média.

Lisos com muito volume, enrolados ou crespos
Sugestão: Escova de efeito liso Uberliss, Avlon
Por que alisa: o produto tem como base a carbocisteína, que penetra profundamente no fio e não tem incompatibilidade com outras químicas de alisamento ou coloração. “Inclusive, se o cabelo for colorido ou com mechas o processo tende a ser definitivo, pois as cutículas já foram abertas. Com o uso do calor da prancha, o produto define a nova forma do cabelo sem afinar o fio, como acontece com o formol. É perfeito”, explica Luciana Nilo, do salão Clip Imagem de Belo Horizonte. “A carbocisteína alisa gradativamente e reduz o volume em até 90%. E ainda sela a cutícula dos fios, reconstrói a fibra capilar, reduz o frizz, hidrata e dá brilho aos cabelos. Pode ser feita em qualquer tipo de cabelo”, esclarece a dermatologista Roberta Bibas, do Rio de Janeiro.
Palavra de especialista: “Esse método é ótimo para redução de volume, e aquele efeito de raiz marcada pelo crescimento do fio fica menos aparente. O resultado final vai depender do formato do cabelo antes do processo de alisamento, mas, no geral, o cabelo não fica totalmente liso, fica com um movimento natural, que é até mais bonito. O produto funciona como um tratamento porque, independentemente da forma, o cabelo ganha brilho, toque macio e fica muito mais hidratado”, diz Luciana Nilo, do salão Clip Imagem de Belo Horizonte.
Quanto tempo dura o efeito liso: Quanto mais crespo, menor a durabilidade. Mas, em média, para os cabelos ondulados e lisos com volume, por exemplo, o efeito liso pode durar de três a seis meses.  
Preço médio: A partir de R$ 400. Podendo custar R$ 200 quando for aplicado apenas em uma determinada região, quando não é necessário alisar o cabelo inteiro.

Cabelos ondulados e cacheados
Sugestão: X-Tenso Moisture, L’Oréal Professionnel
Por que alisa: a substância alisante é o tioglicolato de amônio, que penetra no cabelo e rompe as cadeias de enxofre do fio, deixando os cabelos maleáveis para serem moldados: no caso são alinhados retos. O efeito liso é otimizado pela ação da escova e chapinha que religa 100% das pontes de enxofre.
Palavra de especialista: “O X-Tenso é um método eficaz e seguro porque os resultados de alisamento são concretos e mantêm os fios saudáveis. Sem contar que o fabricante tem o expertise de fazer testes e pesquisas por anos antes de colocar o produto no mercado e cumpre todas as certificações necessárias exigidas pelos órgãos de saúde”, justifica a cabeleireira Jô Nascimento, proprietária do espaço que leva seu nome, em Limeira (SP).
Quanto tempo dura o efeito liso: uma vez alisados, os fios não voltam a enrolar. Será necessário apenas retocar a raiz, depois de um crescimento de mais ou menos quatro centímetros. Esse tamanho de raiz permite um retoque seguro sem agressão para os cabelos já alisados.    
Preço médio: a partir de R$ 450.

Para cachos largos, fios ondulados ou lisos com muito volume
Sugestão: Exohair, Kosmental
Por que alisa: sua base principal são os ácidos acético e lático. O primeiro, combinado com outros ácidos, promove uma dilatação da fibra capilar. O ácido lático, ao ser aquecido, restaura a estrutura do fio, preenchendo os espaços abertos, as fissuras e as áreas danificadas, o que aumenta a matéria do fio e garante mais peso e uma nova forma, com mais brilho. “Se não houver um tratamento prévio que fortaleça os cabelos, o fio volta a dilatar sozinho podendo até se partir, por isso muitas vezes os alisamentos causam a fragilidade dos fios”, explica a cabeleireira Luciana Nilo.
Palavra de especialista: “Os alisamentos feitos por depósito de produto, como o Exohair, respeitam a fibra original, talvez por isso o resultado não seja tão bom em um cabelo crespo quanto em um ondulado, mas o aspecto mais pesado e brilhante é visível em qualquer tipo de cabelo. Esse tratamento pode ser muito útil para quem tem fios ondulados e faz escova toda semana. Com esse método, basta secar com o secador para obter o mesmo resultado. Mulheres que precisam apenas reduzir o volume ou querem acabar com ondas leves podem deixar os fios secarem naturalmente que ficarão lisos. É muito prático”, diz a cabeleireira Luciana Nilo, proprietária do salão Clip Imagem, de Belo Horizonte.
Quanto tempo dura o efeito liso: em média de três a cinco meses. Tem ainda um efeito indireto: o beneficio do cabelo ficar mais pesado faz com que as ondas da raiz também cresçam com mais peso, garantindo o fio reto por mais tempo.
Preço médio: a partir de R$ 420. Para alisar a franja, custa em média R$ 200.

Cabelos crespos ou muito ondulados
Sugestão: Wellastrate, Wella
Por que alisa: o efeito alisante se dá pela ação do tioglicolato de amônio, que provoca uma alteração de estrutura no fio fazendo com que ele fique maleável e possa ser remodelado. “Nesse caso usamos a chapa para deixar o fio reto”, explica o cabeleireiro Wesley Nóbrega, do Studio W Higienópolis, de São Paulo.
Palavra de especialista: “Esse tratamento foi desenvolvido para facilitar a vida da mulher, além de tratar o fio. Ele reduz o volume e deixa o fio maleável, o que dá um movimento bonito, natural. É um produto seguro e com um nível de satisfação enorme por parte das clientes”, opina Wesley Nóbrega.
Quanto tempo dura o efeito liso: o alisamento é definitivo, mas o retoque deve ser feito de acordo com o crescimento do cabelo. Cabelos mais crespos devem ser retocados com mais frequência porque, ao menor crescimento, a raiz mostra a textura diferente do comprimento do fio. O ideal é um intervalo de três meses, em média.
Preço médio: de R$ 600 a R$ 1.500, dependendo do formato do cabelo, volume e comprimento dos fios.

Para qualquer tipo de cabelo
Sugestão: Escova de Monoetalonamina, Lissé Cosméticos
Por que alisa: a principal substância alisante é a carbocisteína, que tem o poder de penetrar nos fios, reduzindo seu volume, o que garante uma ação mais profunda, sem quebrá-los ou agredi-los -pelo contrário, eles são hidratados. Já os aminoácidos vegetais, também presentes na fórmula, criam uma película no cabelo que deixa os fios lisos.
Palavra de especialista: “Essa escova de monoetalonamina é uma das mais seguras do mercado hoje. A maioria das mulheres tem algum tipo de química nos cabelos e é preciso ter muito cuidado na hora de aplicar uma outra por cima. Esse método é compatível com 99% de outras químicas”, explica o cabeleireiro Brauliun Aguiar, da Ophicina do Cabelo, do Rio de Janeiro.
Quanto tempo dura o efeito liso: a reaplicação deve ser feita a cada três meses. O efeito liso vai depender da forma original do fio, quanto mais enrolado, menos liso. Os muito crespos tendem a não ficar completamente retos.
Preço médio: a partir de R$ 330, vai depender de quanto o cabelo é enrolado ou crespo e do comprimento dos fios.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos