Fragrância Citron de Vigne é a uva exatamente antes de se tornar vinho

por Chandler Burr, do "The New York Times" *
Notas Perfumadas

  • Criadora: Fresh Avaliação:

Lev Glazman, co-fundador da Fresh e diretor criativo de seus perfumes, é responsável por fragrâncias que vão das excelentes e ousadas Cannabis Rose e Cannabis Santal - fortes e provocantes, tão surpreendentes e viscerais quanto uma escultura de Richard Serra - à misteriosa e maravilhosa abstração de Sake, e ao belo, talvez um tanto comum literalismo de Tangerine Lychee e Pomegranate Anise. Nada contra as últimas duas, ambas são adoráveis a ponto de tirar o fôlego. É que elas se resumem na aromaterapia de um único acorde, como uma série de fragrâncias de Jo Malone, e têm uma efemeridade semelhante.




A Fresh deu alguns passos errados, mas seu mais recente produto, Citron de Vigne, é uma pequena joia que recupera a força da maison. Ele tem uma beleza naturalista talhada com arte, é engenhosamente ornamentado.

Apesar da sabedoria de 30 bilhões de dólares da indústria de perfumes, poucos perfumistas tentaram o óbvio: os perfumes de vinho. Os franceses que, em teoria, conhecem a poderosa e rica, espumante, fermentada, amadeirada e subterrânea penetração da produção do vinho, já deveriam ter ligado estes pontos.

Só os americanos fizeram isso. Dave Apel ingenuamente colocou óleo de cognac no Black Orchid, de Tom Ford. Ford entendeu. Agora Glazman também está entendendo. Ele e o perfumista Alexis Dadier abrem Vigne com uma nota cítrica e interessante de limão. Não é a mesma nota de limão carregada de tantos perfumes, na esperança de criar a ilusão de vitalidade. Esta explode no palco, mostrando toda a complexidade que se consegue distinguir do limão, além do tipo de brilho que o grapefruit rosa emana quando abrimos uma garrafa de seu suco.

Como 98% dos perfumes, o cítrico aqui funciona como um papel de embrulho. Você o admira, depois rasga com arrependimento. Com Fresh, a compensação é o que se revela por baixo. Este não é um dos estupendos perfumes de vinho, das fragrâncias de Cabernet e Sauvignon que alguém eventualmente virá a produzir. Sei, através de fontes seguras, que Glazman estava visando a uva pinot noir - não o vinho. O mais agradável de Vigne é que ele revela não só esta excelente uva, mas também sua semente. Sabe o gosto suculento, amadeirado e amargo que se sente ao morder a semente de uma uva? Esta é a peça central da estrutura. A fruta, mais o cheiro de broto, cru e úmido. É a uva exatamente antes de se tornar vinho.

Citron de Vigne frustra por uma falha técnica básica e comum na escola modernista de perfumaria: o perfume tem uma substantividade na pele quanto muito medíocre. Mas por terem trabalhado com matérias-primas leves e que evaporam rapidamente, Dadier e Glazman fizeram um trabalho respeitável. Então reaplique.

Citron de Vigne
Fresh
fresh.com

UOL Cursos Online

Todos os cursos