Fragrância masculina Rose d'Homme, inspirada em rosas, impressiona

por Chandler Burr, do "The New York Times" *
Notas Perfumadas

  • Criadora: Parfums de Rosine Gênero: Masculino Avaliação:

Paul Poiret foi o Yves Saint Laurent de sua época. No começo dos anos 1900, ele promovia festas extravagantes e ficou tão famoso que foi convidado a exibir sua coleção na residência do primeiro-ministro britânico. Suas roupas - em elaborados e inovadores tecidos drapeados - eram vendidas por altas quantias. Em 1911, Poiret lançou sua coleção de perfumes, batizada com o nome de sua filha mais velha, Rosine. Os seguidores de Chanel se irritam quando ouvem isso, mas acredito que Poiret realmente precedeu Coco Chanel em uma década como o primeiro estilista a lançar uma fragrância.



Quando Poiret pendurou o uniforme, depois da Primeira Guerra, encontrou sua maison - então competindo com novos estilistas de traços limpos e esportivos como Chanel - quase falida. Ele estava endividado, e seus associados o abandonaram. A maison fechou suas portas em 1929. Poiret morreu pobre.

No final do século 20, uma mulher chamada Marie-Helene Rogeon se interessou em reviver as fragrâncias de Poiret. Seus avós e bisavós haviam sido funcionários de Poiret: misturavam as fórmulas ao álcool e embalavam as 50 variedades de perfumes criados pelo estilista. Nenhuma das fórmulas sobreviveu, nem os nomes dos respectivos perfumistas, mas Marie-Helene encontrou um texto que descrevia a fragrância de La Rose de Rosine
.
Ela foi até o perfumista François Robert, filho do grande perfumista Guy Robert e de uma professora na ISIPCA, a Cambridge das escolas de perfumaria. Juntos, eles reconstruíram La Rose de Rosine. É um belo e esférico jardim de rosas, perfeitamente proporcional, com uma superfície seca e que lembra talco: um efeito criado a partir do uso das raízes de íris, com um toque levemente amadeirado. Em seu âmago percebemos folhas verdes e naturais de violeta.

Em 1991, Marie-Helene relançou a linha Parfums de Rosine. Desde então, ela criou 21 perfumes, todos vendidos em sua loja no Palais Royale (ela estava lá antes de Serge Lutens [criador de perfumes para a marca japonesa Shiseido que ocupou o endereço]). Nos EUA, sete deles estão à disposição na Barneys e na Aedes de Venustas. Os nomes dos perfumes de Paul Poiret foram comercializados pela L'Oréal e outras empresas, mas isso mostrou não fazer muita diferença. Marie-Helene pegou o logotipo de Poiret, o desenho modernista de uma rosa desenhada por Paul Iribes (que também criou o icônico logotipo para Lanvin, com Jeanne Lanvin se abaixando para abraçar a filha), e resolveu que ela iria dedicar a coleção completa à rosa. Se você gosta de rosas - e eu admito que eu gosto, bastante - acaba de encontrar um jardim das delícias.

Roseberry, o único perfume que não foi criado por François Robert (o perfumista Pierre Bourdon fez as honras neste caso, em 1997), é uma rosa com um adorável acorde sintético de framboesa e um absoluto natural da folha de framboesa - o frescor verde que contrasta perfeitamente com o floral da rosa. Comparado à era do Ford T do mundo dos perfumes de rosas, este é um Aston Martin de 2012: rosa de pétalas de vidro, ou como se tivesse sido criado pelo arquiteto Richard Meier.

Rose d'Ete (1998) é um l'Eau d'Issey construído ao redor de um centro de rosa peônia. O nome significa "rosa do verão", mas este é um verão como o que se pode sentir ao ficar em frente ao ar-condicionado de uma grande loja branca de linhas clean. Estranho e intrigante.

Une Folie de Rose (2004) é discutivelmente uma decepção: um chipre de rosa que não é sujo o suficiente. Por outro lado, Zest de Rose (2002) é uma rosa à sombra de um forte chá preto (um LapSang SouChong) envolto pelo cítrico limão. Se a requintada Teabox Café, na loja de departamentos Takashimaya, em Manhattan, tivesse um cheiro, seria este.

Talvez o mais engenhoso seja Rose d'Homme (2005). Um perfume de rosas para homem? A idéia é impressionante, assim como sua execução. Marie-Helene e François Robert criaram um perfume de rosas masculino, que não é florido, e sim floral - um masculino com beleza. Pense no ótimo e condimentado Rive Gauche for Men, de Yves Saint Laurent, com pétalas de rosa escarlate moídas. Um pouco falho no quesito fixação, mas chamemos isso de sutileza. Os homens vão amá-lo e passar para ele gradualmente, e com prazer, dos clichês cínicos de fragrâncias como Hypnose Homme, de Lancôme. Esta é uma fragrância que se assemelha a um labirinto no crepúsculo - um perfume para entrar e se perder ali dentro.

Rose d'Homme
Parfums de Rosine
www.aedes.com
 

Tradutor: Erika Brandão

UOL Cursos Online

Todos os cursos