Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Enquete
  • link: http://mulher.uol.com.br/casa-e-decoracao/album/2011/05/12/escadas.htm
  • totalImagens: 84
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20110610213816
Fotos
A escada metálica 'plissada' com cinco milímetros de espessura fica presa a uma parede lateral estrutural e liga o living ao mezanino do Microapê em Berlim. O piso de madeira é original da construção do início do século 20 e, até a reforma, estava coberto por uma camada de betonilha (argamassa para regularização horizontal de superfícies). O chão foi descascado, recuperado e caiado pelo escritório Spamroom e pelo arquiteto John Paul Coss Ringo Paulusch/ DivulgaçãoMais
Do alto da escada que liga o térreo ao mezanino, onde está o estúdio, é possível visualizar o extenso corredor que percorre os ambientes sociais (estar com lareira e jantar), além de cozinha, banheiros e, ao fundo, um dos dormitórios. Os fechamentos em vidro garantem a transparência necessária para entrada de luz natural e integração com o exterior. A Casa do Arquiteto foi projetada por João Batista Vilanova Artigas, em 1949 Leonardo Finotti/ UOLMais
A porta de correr envidraçada permite a integração do interior com o exterior. O piso, a parede e o embasamento da escada têm a mesma cor avermelhada que contrasta com o azul acinzentado da coluna. A Casa do Arquiteto foi projetada pelo arquiteto João Batista Vilanova Artigas, em 1949 Leonardo Finotti/ UOLMais
A suíte do apartamento no coração histórico de Tel Aviv, Israel, fica no piso subterrâneo construído durante a reforma capitaneada pelo escritório Pitsou Kedem Architects. O acesso é feito pela escada metálica delgada e pelo sistema de portas de ferro e vidro pivotantes Amit Geron/ DivulgaçãoMais
Especialmente no andar subterrâneo do apartamento em Tel Aviv, a iluminação indireta - com focos de luz voltados para as paredes - aparece como elemento crucial ao refinamento da arquitetura industrial, com acabamentos escuros e rústicos. Destaque, ainda, para a leve escada "plissada", dotada de corrimãos em aço inox. O projeto de reforma é do escritório Pitsou Kedem Architects Amit Geron/ DivulgaçãoMais
Apoiada na coluna central de madeira e por tirantes de aço, a escada com degraus de madeira perpassa todos os pavimentos da casa Tijucopava, projetada pelo arquiteto Marcos Acayaba Leonardo Finotti/ UOLMais
Durante a reforma desse sobrado, os arquitetos do escritório Vidal & Sant'Anna inseriram claraboias compostas por chapas de policarbonato sobre a área da escada Fran Parente/ UOLMais
A madeira reutilizada das fôrmas de concretagem reveste os eixos de circulação entre os três pavimentos da Casa do Zé, em Palmela, Portugal. Forros e paredes são revestidos pelas placas que têm ótimo desempenho mecânico, pois são compostas por três camadas cruzadas de pinus. O projeto de arquitetura é do escritório Paratelier Leonardo Finotti/ UOLMais
No primeiro andar estão localizadas as áreas privadas da Casa do Zé, projetada pelo escritório Paratelier: o banheiro e os dois dormitórios (portas à esquerda), organizados ao longo de um corredor delimitado por um pátio que lhes assegura condições ideais de ventilação e iluminação naturais. A madeira reutilizada da concretagem da fachada reveste a circulação entre os três pavimentos, desde o acesso no térreo até a área social, no mais alto pavimento Leonardo Finotti/ UOLMais
Nas escadas, tábuas horizontais formam os degraus e estão chumbadas por um de seus lados à parede de concreto, sendo, no outro extremo, sustentadas pelo sistema estrutural de lâminas verticais. A disposição que intercala vazios dá leveza e estabilidade ao eixo de circulação entre os pavimentos da Casa do Zé, em Portugal. O plano vertical, ainda, filtra a luz de um jeito especial e funciona como guarda-corpo. A residência tem projeto do escritório Paratelier Leonardo Finotti/ UOLMais
O mezanino usado como dormitório apoia-se sobre o banheiro e os guarda-roupas do apê com 29 m² na Polônia - ambos em um corredor de acesso, com piso de ladrilhos preto e branco original do edifício centenário. No corredor, o pé-direito é de 1,85 m. Elevar a cama possibilitou a integração das áreas de uso diurno e convívio social. Sob a escada, o painel de OBS (tiras de madeira prensadas e orientadas) cria uma estante. O material é leve, barato e de tons claros e o projeto é do escritório 3XA S. Zajaczkowski/ DivulgaçãoMais
A escada metálica que serpenteia através do átrio foi revestida com réguas maciças de cumaru (Scrock) e teve guarda-corpos executados em vidro (Vidraçaria RPK) para não perder a leveza, nem a permeabilidade visual da estrutura. Os projetos de arquitetura e interiores desta casa em Curitiba (PR) são assinados por Jorge Elmor Daniel Katz/ DivulgaçãoMais
A escada metálica que serpenteia através do átrio foi revestida com réguas maciças de cumaru (Scrock) e teve guarda-corpos executados em vidro (Vidraçaria RPK) para não perder a leveza, nem a permeabilidade visual da estrutura. Os projetos de arquitetura e interiores desta casa em Curitiba (PR) são assinados por Jorge Elmor Daniel Katz/ DivulgaçãoMais
A escada em concreto aparente ganhou fechamento com tubos hidráulicos de cobre (Tigre), fazendo as vezes de guarda-corpo. O material concedeu um ar diferente ao espaço que tem parede com acabamento em tecnocimento, da Bricolagem, e balizadores LED nos degraus, da marca "A luz com ideias". O Apê Cobre Blue tem projeto de reforma assinado pelo escritório Casa 100 Arquitetura Quadra 2 Fotografia/ DivulgaçãoMais
A circulação vertical, do nível social e de serviços (cozinha) para o dos dormitórios (superior), se dá por uma escada executada em cimento queimado pigmentado com pó xadrez, resinado e brilhante, em homenagem às linhas do artista holandês Piet Mondrian. Guarda-corpos metálicos e delgados são originais do desenho do arquiteto João Batista Vilanova Artigas, que projetou a Casa Olga Baeta em meados dos anos de 1950 Leonardo Finotti/ UOLMais
O projeto de João Batista Vilanova Artigas (1956) previa uma lateral quase que inteiramente envidraçada, integrando as áreas de convívio e circulação vertical (escadas) da Casa Olga Baeta ao jardim. As esquadrias são de ferro com desenho típico da arquitetura paulista dos anos 1950, mas não são completamente originais. O que seria o terceiro pórtico central de sustentação estrutural da residência foi pensado como um apoio de concreto: Bucci providenciou nova escora, desta vez metálica Leonardo Finotti/ UOLMais
Entre duas paredes de concreto aparente, a escada de ligação do térreo com o pavimento superior recebeu iluminação zenital através da claraboia com fechamento em vidro. Desse ângulo é possível visualizar a sala íntima do primeiro andar. A NSN House tem projeto assinado pelo escritório Biselli Katchborian Arquitetos Nelson Kon/ UOLMais
O hall de distribuição dos dormitórios no pavimento superior da residência ganhou personalidade com a parede descascada. Na decoração, uma cristaleira -, peça antiga da família - serve para expor a coleção dos mais diversos estilos de vidros de perfume. A residência dos anos 1950 sofreu reforma com projeto do arquiteto Flavio Cunha, no bairro da Liberdade, em São Paulo Levi Mendes Jr./ DivulgaçãoMais
A porta principal e a escadaria de madeira no sobrado na Liberdade (em SP) chamaram a atenção dos atuais proprietários que, apaixonados à primeira vista pelo imóvel, o compraram em um estado de degradação avançado. A madeira perobinha do campo, original das escadas e muito resistente e foi tratada. O guarda-corpo (corrimão), também em madeira, havia recebido camadas de esmalte ao longo de décadas demandou insistência com removedor e lixa. O trabalho de "retrofit" é da SET Arquitetura Levi Mendes Jr./ DivulgaçãoMais
Os espaços de estar - que também é ocupado pelos jipes - é bastante inusitado, com dois tipos de piso: concreto e pedras locais pintadas de preto. Ao fundo, as paredes do lavabo foram revestidas com chapas litográficas usadas e encimadas pelo banheiro do casal em linhas curvas, no mezanino. Destaque para a escada tipo Santos Dumont, com degraus alternados, que gira 180° Leonardo Finotti/ UOLMais
A escada de uma das unidades que liga o piso térreo ao primeiro andar, onde estão a cozinha e a sala de estar. À esquerda, guarda-corpo estrutural e janela basculante e, à direita, panos de vidro com presos por ferragens articuladas (spider glass) têm a função de guarda-corpo e proporcionam transparência ao conjunto. O Vila Aspicuelta foi projetado por Tacoa Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
As escadas de ligação entre os andares do Vila Aspicuelta, projetado pelo escritório Tacoa Arquitetos, possuem, de um lado, guarda-corpo estrutural de concreto e, de outro, pano de vidro sustentado por ferragens articuladas ("spider glass") Leonardo Finotti/ UOLMais
As escadas em concreto têm guarda-corpo estrutural de um lado e de vidro, do outro. Destaque para o pilar entre as unidades que, iluminado, cria um bonito efeito. O Vila Aspicuelta foi projetado pelo escritório Tacoa Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
O desenho que remete a um ziguezague é resultado das linhas estruturais de concreto que compõem escadas, guarda-corpos, pilares e lajes, além dos blocos drenantes do piso. O Vila Aspicuelta foi projetado pelo escritório Tacoa Arquitetos Leonardo Finotti/ UOLMais
A escada que liga o primeiro e o segundo pavimento possui guarda-corpo estrutural de concreto de um lado (à esq.) e vidro sustentado por ferragens articuladas, de outro. No pé da escadaria, a cristaleira amarela foi comprada na Retrô 63. O apê Vila Aspicuelta foi decorado pelos arquitetos Rafael Loschiavo e Veronica Molina Ana Mello/ UOLMais
Na face interna da fachada frontal da Casa Pepiguari, em São Paulo, está uma escada de concreto moldada "in loco", engastada por suas extremidades na laje do nível intermediário e no piso da sala de estar. Seus degraus são polidos e resinados. A proposta do arquiteto Marcelo Ferraz é unir as circulações através da fachada: do lado de fora, está uma escada metálica fina, soldada nas placas de aço corten, que vai do nível intermediário ao telhado verde (cobertura) Nelson Kon/ UOLMais
Na foto, o interior do bloco contrapeso que abriga a escadaria que vai desde a área de convivência externa (sob o volume suspenso) até o interior da residência, cujos cômodos dividem-se em um pavimento único, distante 2,8 m do terreno. O cimento queimado (simples, ou vermelhão) predomina nos acabamentos. A House in the Air tem arquitetura da TDA, e fica em Luque, no Paraguai Leonardo Finotti/ UOLMais
A escada metálica situada entre o bloco dos dormitórios e a piscina foi executada em perfis vazados de aço galvanizado a fogo, o que permite franca passagem de luz natural para os jardins no nível inferior. A Casa de Fim de Semana foi projetada pelo escritório SPBR Arquitetos Nelson Kon/ UOLMais
Para propiciar uma atmosfera enigmática ao vão da escada, a reforma comandada por Anna Novaes, da Conseil Brasil, recobriu as paredes com MDF padrão couro, na cor marrom. O revestimento cria contraste interessante em relação aos degraus de madeira clara. O projeto luminotécnico arrematou a proposta com pontos focados em posições estratégicas. A arquiteta ensina que quando um material escuro precisa ser valorizado, "deve ser cercado por materiais claros" Marcelo Scandaroli/ DivulgaçãoMais
Atendendo a um pedido do cliente, a decoradora Marília Veiga projetou uma grande marcenaria com armários e nichos que expõem a coleção de barcos dos moradores. O móvel planejado tem iluminação dirigida e fica ao lado da escada que dá acesso ao segundo pavimento da casa Daniel Veiga/DivulgaçãoMais
A escadaria que vai da galeria de entrada ao primeiro pavimento revela uma arquitetura de lajes de concreto espessas e cartesianamente recortadas, com detalhes de paredes e forros que expõe o material estrutural, em sua forma lixada. A escada recebe palitos de eucalipto tratado, para contrastar com a temperatura fria do concreto e enriquecer o aspecto rústico e natural dos interiores. A Casa TN fica em Tóquio, no Japão, e foi projetada por Tsuyoshi Ando Kai Nakamura/ DivulgaçãoMais
A circulação vertical, desde a galeria de entrada até o segundo andar (terceiro pavimento) se dá por lances de escadas. A partir do primeiro andar, o guarda-corpo desenhado pelo arquiteto Tsuyoshi Ando é executado em chapas de aço que levam pintura esmaltada. Sua geometria é reta e sóbria, resumindo o próprio conceito arquitetônico da CasaTN, que fica em Tóquio, no Japão Kai Nakamura/ DivulgaçãoMais
Escada de circulação entre pavimentos da Casa TN. Seus degraus, assim, como o piso, são revestidos por eucalipto, madeira que aquece os interiores, principalmente onde paredes estruturais exibem o concreto rústico, moldado com fôrmas de madeira. O projeto é de Tsuyoshi Ando Kai Nakamura/ DivulgaçãoMais
No primeiro andar, o hall de escadas para circulação entre os três pavimentos da Casa TN dá acesso a duas entradas para a segunda área social integrada da residência, de uso exclusivo do casal. À esquerda, está o living, e pela direita, através de um corredor com estantes para livros, chega-se à cozinha Kai Nakamura/ DivulgaçãoMais
O hall de circulação vertical tem pé direito duplo, a partir do primeiro andar. No terceiro pavimento, o lance de escadas leva ao dormitório do casal. O guarda-corpo desenhado pelo arquiteto Tsuyoshi Ando é executado em chapas de aço que levam pintura esmaltada. Sua geometria é reta e sóbria, resumindo o próprio conceito arquitetônico para a CasaTN, que fica em Tóquio, no Japão Kai Nakamura/ DivulgaçãoMais
A escada monumental é um elemento constante nos projetos do arquiteto Aquiles Kílaris. Na casa especialmente criada para o jogador da seleção brasileira Oscar, em Americana (SP), não foi diferente. Da escadaria curva é estruturada em mármore e metal e dela é possível visualizar toda a área de lazer, através das vidraças Leandro Farchi/ DivulgaçãoMais
O hall da escada que liga os pavimentos exibe uma coleção de lamparinas pertencentes ao morador. A escada em aço corten (liga de aço, nióbio e cromo, resistente à maresia) entra em sintonia com o cimento queimado aplicado à parede. A cobertura Rio Design Leblon tem projeto de reforma assinado pelo escritório House in Rio Júlio César Guimarães/ UOLMais
A circulação vertical entre o térreo e os dois pisos superiores é um eixo único determinado pela escada caracol de feitio leve e metálico, que contribui para a composição de um átrio aberto e integrado, dedicado à convivência. Os degraus são feitos de carvalho tratado e dão continuidade ao piso que reveste toda a residência. A casa N, na Rússia, teve reforma projetada pelo escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Na casa N, em Moscou (Rússia) há um eixo de circulação vertical que vai desde a sala de estar, no térreo, até os pavimentos superiores e ao subsolo. Para o acesso aos pisos mais altos, a escada-caracol metálica tem uma estrutura aberta que não interfere como divisória entre os ambientes da ampla sala (foto), que também possui um canto (à esq.) aquecido pela lareira (Brunner) Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
A escada-caracol liga a sala de estar ao hall da suíte, instalado no mezanino do primeiro andar. O guarda-corpo estruturado em metal tem acabamento em carvalho (corrimão), o que cria uma continuidade em relação ao piso e aos degraus. O mezanino serve como elemento de integração entre a área privativa do casal e o exterior da casa N, devassado pela enorme fachada de vidro. O projeto de reforma desta residência russa é do escritório alemão 4a Architekten Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O eixo vertical de circulação não se dá apenas entre salas de convivência - estar, jantar e cozinha integrados - e os dormitórios distribuídos nos dois pavimentos superiores. Ele persiste em direção ao sótão, através de uma abertura no piso que abriga um lance sinuoso e fechado de escadas. A abertura é protegida por um guarda-corpo transparente, feito de vidro, que não limita a visão para os que observam e utilizam as salas do térreo Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
O eixo vertical de circulação não se dá apenas entre salas de convivência - estar, jantar e cozinha integrados - e os dormitórios distribuídos nos dois pavimentos superiores. Ele persiste em direção ao sótão, através de uma abertura no piso que abriga um lance sinuoso e fechado de escadas. A abertura é protegida por um guarda-corpo transparente, feito de vidro, que não limita a visão para os que observam e utilizam as salas do térreo Dmitry Chebanenko/ DivulgaçãoMais
Aberto para o pátio interno com espelho d'água, o segundo pavimento abriga os dormitórios: dois de solteiro e a suíte do casal. O destaque fica para a galeria de circulação, onde foi instalada a biblioteca da família. A Casa Bacopari tem projeto arquitetônico do Grupo Una Leonardo Finotti/ UOLMais
A galeria de circulação entre os dormitórios foi aproveitada como biblioteca da família. Piso e forro em madeira contrastam com o vigamento metálico. A Casa Bacopari tem projeto arquitetônico assinado pelo Grupo Una Leonardo Finotti/ UOLMais
A casa M.A.N. se desenvolve a partir de uma circulação vertical e central entre os pavimentos térreo e superior, sobre o platô natural do terreno. O formato em "T" da implantação faz com que todos os ambientes nos dois pavimentos estejam diretamente ligados a essas escadas, recebendo iluminação natural dramática através da enorme claraboia posicionada sobre as escadas e o pátio interno. A arquitetura é do escritório Gálvez & Marton Leonardo Finotti/ UOLMais
No Living da Família, criado por Paola Ribeiro,o espaço embaixo da escada ganhou marcenaria sob medida para acomodar livros e objetos de decoração. A 23ª edição da Casa Cor Rio segue até 18 de novembro de 2013, na Av. dos Flamboyants, 500, Barra da Tijuca - Rio de Janeiro. Outras informações: www.casacor.com.br/riodejaneiro DivulgaçãoMais
A arquitetura da NA House revela recortes ortogonais - o contorno do piso no mezanino, o jogo entre as aberturas de claraboia, janelas e portas em variados tamanhos e a inclinação do telhado - que produzem a sensação de níveis diversos de profundidade. Os madeiramentos no piso do corredor térreo, nas escadas e no último pavimento se diferenciam não só pela coloração e pelo tratamento da madeira, como também pela orientação dos tacos e pelo próprio design. A arquitetura é do japonês Tsuyoshi Ando Jun Ota/ DivulgaçãoMais
As assinaturas de Roberto Burle Marx e de Aldo Bonadei, nos quadros que decoram a parede da escada da entrada, enobrecem a ambientação do apartamento com reforma projetada pelo designer de interiores Oscar Mikail. Na residência, quadros, esculturas e móveis antigos convivem em harmonia com peças contemporâneas Thiago Travesso/ DivulgaçãoMais
O MACh Arquitetos projetou uma escada-rampa para a circulação vertical entre pavimentos da Casa Galeria. O elemento tem formato híbrido e seus degraus são largos e com pouca inclinação, para que o percurso seja mais alongado e lento. Ao mesmo tempo em que colabora com acessibilidade, permite fruir o caminho e apreciar algumas obras de arte em exibição. O corrimão, assim como piso, é feito de peroba mica. Um rasgo no forro, para a claraboia, banha a circulação com luz natural Gabriel Castro/ DivulgaçãoMais
Na circulação com escada-rampa é possível observar a lona de caminhão esticada - "Sílvio Santos" -, assinada por Martha Neves (à esq.). À frentre, uma "Black Flag", de Robert Longo, e - à direita - está uma obra de Hélio Oiticica. O projeto da Casa Galeria é do escritório MACh Arquitetos Gabriel Castro/ DivulgaçãoMais
A escada de acesso ao pavimento superior é um dos destaques da Casa Urbana, projetada pela arquiteta Paula Bittar. Para não ocupar espaço no living e permitir que as pessoas passassem por baixo da estrutura, a profissional colocou o patamar para fora da casa, envolto por uma caixa de vidro (foto). A estrutura da escada, vista de frente e através da vidraça, revela a mescla as madeiras de demolição peroba e canela na composição dos degraus Sergio Scripilliti/ DivulgaçãoMais
O Escritório do Publicitário, criado por Nildo Moro e Rafael Simonazzi, tem caratrerísticas descontraídas: a mistura de cores, a profusão de objetos e a incorporação de elementos divertidos - como a árvore (ao centro) e a mesa de sinuca (sob o mezanino). A 18ª edição da Casa Cor Espírito Santo fica em cartaz até 17 de setembro de 2013, no Boulevard Shopping Vila Velha (Rodovia do Sol, 5.000, Itaparica, Vila Velha (ES)). Outras informações: www.casacor.com.br/espiritosanto Sagrilo/ DivulgaçãoMais
Com três níveis de piso, as escadas de acesso têm acabamento em cimento queimado e não possuem corrimãos ou guarda-corpos. No piso da Casa dos Pástio projetada pelo escritório AR Arquitetos, em São Paulo, o assoalho é de perobinha Leonardo Finotti/ UOLMais
Para transformar os dois apartamentos em um dúplex, o projeto de reforma de autoria da arquiteta Izabela Lessa previu a quebra uma laje para a implantação da escada que fica em frente à fachada de vidro. Por estar presa à parede por fixadores imperceptíveis, fica uma sensação de que a estrutura de acesso flutua MCA Estúdio/ DivulgaçãoMais
Para transformar os dois apartamentos em um dúplex, projeto de autoria da arquiteta Izabela Lessa, foi preciso quebrar uma laje para implantar a escada que fica de frente à fachada de vidro. Por estar presa à parede por fixadores imperceptíveis, fica uma sensação de que a estrutura flutua MCA Estúdio/ DivulgaçãoMais
Um lance de escadas revestidas de madeira peroba mica (assim como todo o piso da área íntima) conduz aos dormitórios, no bloco inferior da Casa PL. O guarda-corpo é em vidro laminado e o forro tem acabamento liso em concreto aparente. O projeto é de Fernando Maculan e Pedro Morais Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
Para melhor aproveitamento da área, toda a circulação horizontal e vertical foi projetada no mesmo espaço, no centro da casa. Quem assina o projeto da casa de montanha no bairro Itaipava, em Petrópolis (RJ), é a arquiteta Flávia Quintanilha Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
Vista do corredor de circulação dos dormitórios, no piso superior, com escada de acesso à cobertura, onde está o reservatório de água. A Casa Maracanã tem projeto arquitetônico assinado pelo escritório Terra e Tuma Pedro Kok/ DivulgaçãoMais
Para dar a sensação que o pé-direito é mais alto, foram retirados os rodapés das paredes. A iluminação do teto limita-se ao lustre sobre a bancada da cozinha e ao plafon próximo aos armários do quarto, peças - respectivamente - datadas dos anos 1960 e 70. Os interiores do duplex na Alameda Campinas são assinados pelo arquiteto Maurício Arruda Fran Parente/ DivulgaçãoMais
A área social é uma sucessão de três salas com pé direito duplo (5,5 m) com único elemento divisório: uma escada para circulação vertical, sob a qual está o espelho d'água. Os fechamentos em vidro ao fundo, voltados para a piscina, e laterais, direcionados ao corredor, são pontos estratégicos que garantem máxima iluminação natural pela manhã, além de ventilação. A casa Acapulco foi projetada pelo arquiteto Flavio Castro, no Guarujá Marcelo Scandaroli/ DivulgaçãoMais
A fachada frontal da casa Acapulco, projetada pelo arquiteto Flavio Castro, também é fechada em vidro no eixo longitudinal, que se comunica com área social e piscina e se estende até o pavilhão dos fundos, onde está a sauna. A iluminação das salas de estar e da lareira oferece opções de cenários. Réguas desenvolvidas em perfis de chapa metálica "U", para lâmpadas frias, produzem luz menos cenográfica e voltada para o teto, o design das luminárias é assinado pelo arquiteto Marcelo Scandaroli/ DivulgaçãoMais
A viga central da escada é um tubo metálico que foi recheada com concreto, para evitar vibrações, e como os degraus são fôrmas metálicas preenchidas por cimento queimado branco, não fazem barulho. A escada leva pintura automotiva e cobre um espelho d'água com fundo de seixos. A arquitetura e os interiores são de autoria do arquiteto Flavio Castro Marcelo Scandaroli/ DivulgaçãoMais
À noite, a iluminação do espelho d'água, subaquática e azul, se destaca.Os seixos rolados são de rio e a água circula por um filtro que fica submerso, instalado por baixo das pedras. A casa Acapulco conta com projetos de arquitetura, interiores, paisagismo e luminotécnico assinados pelo arquiteto Flavio Castro Marcelo Scandaroli/ DivulgaçãoMais
A dupla de arquitetos Samy e Ricky Dayan opta por dar um aspecto artístico às portas principais das casas que projetam e usam textura ou revestimentos especiais para criar um efeito cênico. O modelo da foto, pivotante em peroba de demolição, foi executado pela Marcenaria JSS (11 4186-6923). O custo da peça é de R$ 3 mil | Preço consultado em janeiro de 2013 e sujeito a alterações DivulgaçãoMais
A porta de entrada, projetada pelo arquiteto Rogério Perez, é estruturada em folha dupla de madeira laqueda branca e possui abertura central com puxador circular continuo. O produto pode ser adquirido na Marcenaria Fega Design (www.fegadesign.com.br) por valores a partir de R$ 5,5 mil | Preço consultado em janeiro de 2013 e sujeito a alterações DivulgaçãoMais
Do pavimento inferior, onde está a área social e de lazer, a escada leva ao piso térreo ocupado por quatro suítes e a sala íntima. Outra escada conduz ao superior, pavimento reservado à suíte master do casal, com closet e estúdio. A residência Iporanga foi projetada pelos profissionais do escritório Ximenes Leite Arquitetura em parceria com o arquiteto Mario Biselli Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
O desnível entre a rua e o pavimento térreo da residência é vencido por uma escada ladeada pela vegetação e pelo muro de pedras. A Casa do Moinho tem projeto da arquiteta Nora Queiroz Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
Detalhe da escada em dois lances, executada em concreto. A Casa do Moinho foi projetada pela arquiteta Nora de Queiroz Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
A escada em dois lances foi executada em concreto e tem corrimão metálico. À esquerda, o vão dá acesso ao lavabo e à cozinha da Casa do Moinho, projetada pela arquiteta Nora de Queiroz Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
A escada está presa por tirantes à viga metálica do último pavimento. Seus lances, junto à entrada principal da casa AM ? com projeto de Monica Drucker -, formam um eixo principal de circulação entre os três patamares superiores, ao mesmo tempo que possibilitam a passagem da luz do sol vespertino (mais quente) desde a fachada frontal até os fundos da residência. O guarda-corpo em vidro laminado (20mm) fica embutido na estrutura metálica da própria escada Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
A escada está presa por tirantes à viga metálica do último pavimento. Seus lances, junto à entrada principal da casa AM ? com projeto de Monica Drucker -, formam um eixo principal de circulação entre os três patamares superiores, ao mesmo tempo que possibilitam a passagem da luz do sol vespertino (mais quente) desde a fachada frontal até os fundos da residência. O guarda-corpo em vidro laminado (20mm) fica embutido na estrutura metálica da própria escada Leonardo Finotti/ DivulgaçãoMais
Fachada principal da casa em Barueri (SP) tem projeto arquitetônico assinado por Glorinha Batista e decoração pensada pela designer de interiores Giseli Koraicho Alexandre Dotta/ DivulgaçãoMais
O guarda-corpo de vidro e metal dá amparo aos degraus de madeira da escada que leva ao piso superior da casa em Barueri (SP), decorada por Giseli Koraicho. Atente para as luzes direcionais à altura do passo que iluminam o caminho dos usuários Alexandre Dotta/ DivulgaçãoMais
O living principal da residência é um espaço contínuo que evolui em espiral (de baixo para cima, pela escada à direita), partindo da cozinha e seguindo em direção às salas de jantar e estar, à convivência da família (em um pavimento intermediário), ao estúdio e ao corredor dos dormitórios (no pavimento superior). A dinâmica da circulação determina, também, um aumento da privacidade à medida que o térreo se distancia. A View House foi projetada por Diego Arraigada, Mark Lee e Sharon Johnston Leonardo Finotti/ UOLMais
Na escada que dá acesso ao andar superior, uma coleção de fotos de família foi instalada na extensão de uma das paredes. A Casa do Arquiteto tem projeto de reforma assinado por Marcelo Rosenbaum Leonardo Finotti/ UOLMais
A escada que dá acesso ao pavimento íntimo funciona como elemento escultural: o corrimão original, de ferro, foi substituído por um guarda-corpo de vidro (Guardian) e balizadores auxiliam na iluminação. O diferencial, porém, é o vermelho intenso aplicado a uma das paredes. O projeto de interiores da Casa no Alto de Pinheiros é assinado por Marília Veiga DivulgaçãoMais
A entrada social da casa NB, em Nova Lima (MG), se faz por uma grande porta de metal. A construção foi implantada na parte mais alta do terreno em declive, com 1.300 m². O projeto é dos Arquitetos Associados, de Belo Horizonte Leonardo Finotti/ UOLMais
Na foto, uma das escadas de acesso ao pavimento principal da casa NB, em Nova Lima (MG). Com estrutura de metal, a escadaria ganhou paisagismo sob si - com bromélias - e é ladeada por um pano de vidro (à dir.) e uma parede revestida por canjiquinha, à esquerda. O projeto é assinado por Alexandre Brasil e Paula Zasnicoff, do escritório Arquitetos Associados Leonardo Finotti/ UOLMais
Assim como para a escada de acesso principal, a escadaria secundária que liga a garagem ao volume social da casa é iluminada naturalmente pelas aberturas zenitais da laje "cubeta", nervurada e dotada de orifícios cúbicos conseguidos através de formas com 90 cm de lado. O projeto da residência em Nova Lima (MG) é assinado por Alexandre Brasil e Paula Zasnicoff, do escritório Arquitetos Associados Leonardo Finotti/ UOLMais
Vista de cima, a rampa-escada desnuda seus degraus de grande largura feitos com madeira. O material contrasta com o concreto e o vidro abundantes na Casa Valinhos, assinada por Ruy Ohtake. No térreo, o lounge despojado ganhou piso de resina vermelho PU Durocolor aplicado de forma orgânica Daniel Ducci/ UOLMais
A arquitetura de Ruy Ohtake tem seu ponto alto nesse espaço onde estão home theater, lounge e bar. Dele uma rampa-escada escultórica liga o térreo ao pavimento superior, onde estão os dormitórios. Sobre a escadaria, uma clarabóia com 4,50 m de diâmetro favorece a iluminação farta e realça o contraste de materiais: concreto, vidro e madeira, todos em quantidade abundante na Casa Valinhos Daniel Ducci/ UOLMais
A arquitetura de Ruy Ohtake tem seu ponto alto nesse espaço onde estão home theater, lounge e bar. Dele uma rampa-escada escultórica liga o térreo ao pavimento superior, onde estão os dormitórios. Sobre a escadaria, uma clarabóia com 4,50 m de diâmetro favorece a iluminação farta e realça o contraste de materiais: concreto, vidro e madeira, todos em quantidade abundante na Casa Valinhos Daniel Ducci/ UOLMais
Antes da reforma, a edícula já existia - térrea - e era utilizada como escritório e área de serviço. Este volume de grossas paredes de alvenaria - 30 cm de espessura -, aos fundos do terreno, não exigiu reforço estrutural metálico, mas, nas laterais, recebeu pilares de concreto que sustentariam um novo pavimento acima do escritório. A reforma da Casa Cayowaa é assinada por Francisco Spadoni Tiago Andrade/ DivulgaçãoMais
No Residencial Vila Maida, as escadas que seguem para pavimentos superiores são estruturadas em aço, com degraus feitos de chapa metálica, preenchida com concreto e finalizada com cimento queimado. O projeto arquitetônico da ?vilinha? é da arquiteta Maristela Faccioli MOS/ DivulgaçãoMais

Escadas

Mais álbuns de Casa e Decoração x

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE CASA E DECORAÇÃO

UOL Cursos Online

Todos os cursos