Quero construir com tijolos aparentes: quais são as possibilidades do material? É durável?

Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz

Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz

Leia todos os artigos

O tijolo de barro maciço é uma forma milenar de construção. Muito difundida no Brasil, é considerada até hoje em determinadas regiões como a vedação mais nobre que uma residência pode ter por conta de sua grande massa. Mas que cuidados tomar quando se constrói com tijolos aparentes?

O primeiro ponto que deve ficar claro é o de que existe uma grande diferença entre construir uma casa estruturalmente com tijolos aparentes e revestir uma construção com eles. O primeiro caso é uma forma tradicional de se construir, como é o caso da maioria dos sobrados da primeira metade do século 20 no Brasil, enquanto que o segundo é o que encontramos invariavelmente em churrasqueiras e quiosques de lazer.

  • Exemplo de desenho que pode ser obtido pelo assentamento de tijolos aparentes

Construção

Como sempre, se você está pensando em construir sua casa com tijolinhos preocupe-se em ter um bom cálculo estrutural que, nesse caso, vai considerar a resistência dos tijolos, o tipo de argamassa e assim por diante. Por isso, o ideal é contratar um profissional para orientá-lo. Lembre-se sempre que o dinheiro investido em planejamento equivale a pelo menos três vezes em economia na obra.

Para facilitar a compreensão das variáveis que envolvem a estética e manutenção dos tijolos aparentes vamos separá-las em alguns itens.

Forma do tijolo

Qual o formato do tijolo que você acha mais interessante? Eles costumam ser retangulares, mas existem grande variações entre as dimensões disponíveis. Ele pode ser mais chato, ou mais largo, por exemplo, mudando a aparência final de suas paredes.

 

  • No exemplo acima, tijolos
    de cores diferentes compõem detalhes no aspecto final

Outro aspecto importantíssimo é o acabamento. A maioria dos tijolos para revestimento tem as bordas perfeitas, completamente retificadas, enquanto os para a construção são mais imperfeitos, com bordas irregulares. Qual dos dois usar é uma opção estética e cabe a você escolher.

Cor do Tijolo

A variação de cor entre os tijolos é muito grande, de um tom de palha até um vermelho bastante escuro. Para definir a sua cor, pense na composição geral: as outras paredes serão brancas? O piso é de qual material? Qual cor o cansará menos ao longo dos anos?

É possível ainda mudar um pouco a cor de paredes de tijolinhos pré-existentes utilizando tratamentos com ácido ou pinturas à base de cal. Para não mencionar pinturas diretas, evidentemente.

Forma de Assentamento

Existem muitas formas de se assentar os tijolos aparentes, mudando completamente a aparência final de uma parede, especialmente em se tratando de revestimento. Lembre-se que no caso da construção com tijolinhos, o assentamento terá papel estrutural, o que não pode ser definido apenas pela estética.

  • Stock Images

    A cor do tijolo e sua disposição rendem inúmeras possibilidades estéticas para a construção

O modo mais clássico de assentamento é o que chamamos de "amarração", que tem as juntas desencontradas. Mas é possível realizar o assentamento "junta a prumo", por exemplo, que é quando as juntas verticais são alinhadas verticalmente. Existem ainda muitas outras formas de assentamento e cabe à sua imaginação realizá-las, desde que sejam apenas para revestimento.

Rino Levi, um dos grandes arquitetos brasileiros, utilizou muito em suas obras o revestimento de tijolinho do tipo "espelho", no qual o tijolo é colocado "em pé", ou seja, sobre o lado mais estreito, com a face maior compondo a elevação da parece.

Tipo de junta

As juntas também devem ser um elemento de consideração estética, porque podem ser mais largas ou mais finas. A cor da argamassa de assentamento pode ser variada em tons de cinza e até ser colorida.

É possível ainda realizar a junta "meia cana", a mais tradicional para tijolo aparente, quando a junta é frisada de forma igual para ficar recuada em relação ao tijolo. Pode ser do tipo "careca", em que a argamassa fica no mesmo plano que o tijolo, deixando um aspecto um pouco mais rústico. E ainda é possível realizar um assentamento do tipo "junta seca" quando os tijolos têm apenas o aspecto de empilhados entre si, sem aparecer nenhum vestígio da argamassa, que nesse caso é aplicada apenas atrás do tijolo para aplicá-lo na parede.

  • Stock Images

    Resinas, vernizes e silicones podem ser aplicados para proteção do material exposto

Proteção e acabamento final

Existem várias formas de acabamento com vernizes e resinas, que tendem a deixar películas protetoras sobre os tijolos. Nesse caso o aspecto dos tijolos fica um pouco "envernizado" e há uma mudança de aspecto na coloração e acabamento. Antes de optar por um desses produtos, o ideal é fazer um teste com algumas peças e juntas para verificar se o resultado agrada: uma vez aplicado, o produto dá um certo trabalho para ser retirado.

Uma outra opção muito interessante e que tomou o mercado na última década são os revestimentos hidrofugantes, à base de silicone. Depois de seco, o resultado é invisível: a aparência dos tijolos e das juntas não se altera, a ponto de ser difícil dizer se foi feito algum acabamento.

  • Stock Images

    O tijolo aparente é uma material muito antigo e versátil, mesmo assim, não fica bem em qualquer estilo de construção. Pesquise a obra de catalão Antoni Gaudí, do brasileiro Vitor Lotufo e do paraguaio Solano Benítez para encontrar boas fontes de inspiração

Para testar a eficiência do produto, jogue um copo de água sobre os tijolos: onde o produto foi aplicado a água será repelida e o tijolo terá aspecto de seco; as ares sem o acabamento ficarão molhadas. Esse produto é especialmente indicado para paredes que estão muito expostas à chuva, porque há sempre o risco de o tijolo se desgastar.

As possibilidades do tijolo são muito amplas. Muito já foi realizado com esse tradicional material, e muito mais pode ser inventado. Se você pretende revestir ou construir com tijolinhos aparentes, pesquise um pouco as obras já executadas na história da construção civil. Ficam como dica os trabalhos do mestre Catalão Antoni Gaudí, do brasileiro Vitor Lotufo e do incrível arquiteto paraguaio Solano Benítez. E boa inspiração!

Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz

Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz são arquitetos formados pela FAU-USP e sócios do escritório Forte Gimenes Marcondes Ferraz (www.fgmf.com.br)

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos