Conheça trepadeiras para vários tipos de jardim

ESTEFANI MEDEIROS
Colaboração para o UOL

As trepadeiras são uma solução atraente para diversos tipos de jardim. Dos pequenos aos mais extensos, servem como item decorativo, trazem sombra e algumas espécies podem até ajudar a diminuir o nível de poeira da rua e manter um clima mais fresco na casa. Para que ela cresça saudável e traga tais benefícios, alguns cuidados devem ser tomados já no momento de escolher a planta.

De acordo com o paisagista Benedito Abbud, existem dois tipos de trepadeiras: as que têm fixação própria, por meio de ventosas, e as que não se fixam sozinhas. As primeiras são indicadas para uso vertical, já que aderem a diferentes superfícies, como pergolados, dando o efeito espiralado. Abbud usa, para estes casos, Falsa Vinha (Parthenocissus tricuspidata) e a Unha de Gato (Uncaria tomentosa) .

Já as que não têm fixação própria são indicadas para espaços verticais, como muros e paredes. Nestas situações, a Jade (Strongylodon macrobotrys) e Sapatinho de Judia (Thunbergia mysorensis) são algumas das espécies usadas pelo paisagista. Na primeira opção, as folhas caem durante o inverno, permitindo que o sol entre na casa. O único cuidado que deve ser tomado é que as paredes não podem ser pintadas com cal, pois as plantas podem se soltar.

Existe uma grande variedade de suportes para acomodar as trepadeiras. A escolha depende da espécie e das dimensões do jardim. Quem tem mais espaço pode optar por arcos, caramanchões de ferro, madeira ou concreto; para áreas menores, vão bem as telas, gaiolas, postes e treliças.

De acordo com a paisagista Mariângela Pacheco, “os cuidados, como regar e adubar, são os mesmos dispensados a outras plantas. Mas o local onde a trepadeira será plantada precisa ser analisado previamente, para saber qual espécie é a mais adequada.”

Mariângela Pacheco e a também paisagista Paula Godoy deram algumas dicas de espécies que podem ser usadas em diversos tipos de jardins e suportes. Veja as opções e quais os melhores ambientes para elas:

- Sapatinho de Judia (Thunbergia mysorensis): adapta-se à meia-sombra e tem crescimento rápido. É bastante usada para contornar telhados Muito usada por produzir flores e folhas penduradas, criando uma cortina;

- Ipoméia (Ipomoea horsfalliae): ideal para cobrir paredes e pergolados, tem folhagem brilhante, floresce quase o ano todo e se adapta a espaços expostos ao sol;

- Jasmim de Madagascar (Stephanotis floribunda): de crescimento lento, é perfumada e ideal para cobrir arcos e estruturas mais delicadas;

- Clerodendro Vermelho (Clerodendron splendens): tem folhas grandes, brilhantes e abundantes. Floresce nas estações mais frias e funciona bem para obstrução do sol;

- Maracujá Doce (Passiflora Alata Curtis):  tem ramagem densa, oferece sombra (além de frutos) e pode ser usada como cobertura para garagem;

Depois de tomar os cuidados necessários, um ponto a ser levado em consideração é a criatividade. Se você não tem jardim, com bom gosto e algumas ideias, é possível aproveitar portas, janelas e pequenos espaços na entrada da casa, usando ripas de madeira e fios de aço.

Outra opção é fazer um jardim vertical, que também dá um bonito efeito. Basta combinar as cores de acordo com a estações e curtir sua paisagem pessoal.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos