Elas armazenam água e gostam de lugares inóspitos: saiba mais sobre as suculentas

JULIANA NAKAMURA
Colaboração para o UOL

  • Divulgação

Cada vez mais valorizadas em projetos de paisagismo em função da variedade de cores e texturas que proporcionam, as suculentas podem ser identificadas como "duras na queda". Com folhas grossas e carnudas, essas plantas, originárias de locais de clima árido e de regiões desérticas, são capazes de armazenar água em suas raízes, talos e folhas. Dessa forma, podem manter sua beleza e graciosidade ainda que em ambientes inóspitos. Também por esse motivo, as suculentas são a escolha mais apropriada para aqueles que querem levar o verde para dentro de casa, mas sem ter muito trabalho com regas, podas e outros cuidados. "Na maior parte das vezes, a manutenção de um vaso com suculentas é praticamente zero", revela a paisagista Celeste Moraes.

Estima-se que haja mais de 22 mil espécies de suculentas em todo o mundo, que podem ser cultivadas tanto em amplos canteiros, quanto em pequenos vasos em apartamentos. Há desde as de porte maior, como os Agaves (agavaceae) até as destinadas à forração, como as da família das Crassuláceas (crassulaceaa).

Com flores

No Brasil, as espécies mais populares são justamente as menores, que têm formas mais delicadas. Esse é o caso das echeverias, que possuem coloração intensa - esverdeada ou azulada - que as protege de raios luminosos muito intensos. Essas plantas se caracterizam pelas folhas organizadas em forma de flor e se adaptam muito bem ao plantio em vasos. De crescimento relativamente rápido, florescem principalmente nos meses mais quentes.

Outro tipo de suculenta muito popular é a kalanchoe, conhecida também como flor-da-fortuna. Com flores de cores diversas, são bastante duráveis e podem ser cultivadas em vasos, jardineiras e em jardins de pedras, em conjunto com cactos e outras suculentas.

Por causa da pouca exigência por manutenção, um uso recente e crescente das suculentas é na composição de jardins verticais e em telhados verdes. Nesse último caso, utilizam-se espécies de crescimento lento e que não formam raízes lenhosas, como as do gênero Sedum, que podem se manter viáveis por até 88 dias sem água.

Sol pleno

"Além da beleza, a maior vantagem das suculentas é apresentar um desenvolvimento rápido para sol pleno e não exigir tantos cuidados, em comparação com outros grupos de plantas", comenta a arquiteta e paisagista Adriana Victorelli, do escritório Neo Arq. Mas isso não quer dizer que o cultivo doméstico dessas plantas não exija nenhuma atenção.

Seja quando plantada no solo, seja quando mantida em vasos, as suculentas demandam luz solar intensa e direta. Por isso mesmo, em apartamentos, o melhor local para cultivá-las é próximo às janelas ou em jardineiras protegidas da chuva. O solo deve ser preferencialmente arenoso e de boa drenagem. Para garantir essa condição, uma dica é colocar brita, cacos de cerâmica ou argila expandida no fundo dos vasos para facilitar o escoamento do excesso de água.

Como a principal característica das suculentas é a capacidade de armazenar água, as regas devem ser esporádicas. Se estiverem plantadas em vaso, a irrigação deve acontecer somente quando a terra apresentar-se seca. Além disso, é importante cuidar para não deixar água depositada no prato.

A composição de um vaso com espécies diferentes de suculentas pode resultar em arranjos de beleza única para adornar mesas, aparadores e pequenos espaços em cozinhas e banheiros. Mas o bom resultado dependerá da combinação de espécies que tenham a mesma necessidade básica de luz e frequência de regas. Por isso, vale à pena informar-se sobre as demandas individuais de cada planta antes de reuni-las em um mesmo vaso.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos