Especialista em etiqueta dá dicas de como não cometer gafes em um casamento

MAYARA ALVES
Colaboração para o UOL

  • Arte UOL

    O branco é uma cor que deve ser evitada pelas madrinhas

    O branco é uma cor que deve ser evitada pelas madrinhas

Na hora de organizar o seu casamento ou até mesmo durante a festa, há sempre questionamentos sobre o que se deve ou não fazer, tanto para os noivos, quanto para os convidados. Para te ajudar a não pisar na bola, o consultor de etiqueta Fabio Arruda dá dicas certeiras sobre variados aspectos da cerimônia e festa.

Vestido de noiva só pode ser branco?

Isso é uma tradição, que traduziria pureza e virgindade. Hoje em dia, as coisas não são mais tão conservadoras assim e o branco do vestido se mantem mais pelo ritual. Afinal, casar já é um ato bem tradicional. Mas, se a noiva optar por um vestido mais colorido, com alguma cor clara ou vibrante, tudo bem. É o dia dela, o dia da vida dela. Se combinar com o estilo, sem problemas. Mas há a chance dos convidados ficarem um pouco assustados.

Tem regra para a cor dos vestidos das madrinhas e convidadas?

A primeira cor que deve ser evitada, principalmente pelas madrinhas, é o branco. Afinal, o branco é a cor clássica da noiva. Não é regra, mas uma questão de delicadeza e bom senso. Outra cor a ser evitada, mas somente pelas madrinhas, é o preto. Isso por causa de uma tradição cultural, que veio de Portugal, em que o preto é uma forma de mostrar protesto, desagrado ou contrariedade à ocasião. Novamente, não é uma regra, apenas uma tradição. Mas para que gerar polêmicas ou correr o risco de desagradar os noivos, não é mesmo?

Como dizer “não” a um convite para ser madrinha?

Sempre digo que o convite para ser madrinha é um convite, não uma intimação. Aceite-o desta maneira. Se você não puder – por algum motivo financeiro, pessoal ou emocional –, simplesmente cancele, sem constrangimento. Não é feio! Agradeça o convite e explique os seus reais motivos. Se o casal gostar mesmo de você, ele vai entender.

Como dizer “não” a uma amiga que se ofereceu para ser madrinha?

Se você simplesmente disser “ah, eu não quero”, a pessoa com certeza ficará chateada. Por isso, explique de uma maneira carinhosa, dizendo que você adora a pessoa, mas que tem razões para convidar uma outra amiga, seja por motivos familiares, pelo gosto da mãe, pelo gosto do noivo ou pela sua relação com a própria pessoa, mesmo. Se achar que não vai dar certo, sou bastante adepto de "mentiras sinceras". Essas que são leves e para o bem. Exagere com um “é que a minha mãe faz questão e vai ficar chateada se eu não chamar a fulana” na hora de explicar.

Lista de presentes: fazer ou não?

Fazer, sim! E com a maior variedade de presentes possível, principalmente com muitas opções de preço. Mas é sempre bom lembrar que é uma sugestão, não uma obrigação para os convidados.

Em vez de fazer a lista de presentes, pode pedir dinheiro?

Isso é moda. Alguns casais “vendem ações” da lua-de-mel, pedindo para que as pessoas contribuam em dinheiro. Mas isso tudo comercializa demais o casamento. O fato é: se você está sem dinheiro para o casamento ou para a lua-de-mel, é melhor não casar. Senão, você acaba obrigando os seus convidados a pagar pela sua festa.

Como agradecer os presentes recebidos?

O ideal é mandar cartões de agradecimento. A dica é: conforme os presentes forem chegando, já prepare os cartões de agradecimento. Não deixe para fazê-los de uma vez só, depois da festa ou depois da lua-de-mel. Deixar para a última hora vai acabar sobrecarregando o casal. O que é desnecessário. Faça-os aos poucos e, quando acabar todos, é só postá-los. Se o casal tiver tempo, pode agradecer os presentes pessoalmente, mas não é necessário.

Pais no altar: como fazer se eles forem divorciados?

Tudo tem que ser propocional. São separados, mas qual é o nível de não-sociabilidade deles? Tudo vai depender do quanto esses pais não se toleram. Se mantê-los um do lado do outro é uma situação absolutamente inadmissível, não adianta forçar. Vai, inclusive, acabar criando um clima ruim. Agora, se é apenas um não-prazer da companhia, se eles não se curtem muito, será que não vale o esforço deles pelo filho ou pela filha? É um exercício de carinho! Aí, o ideal é conversar com eles. E, se eles são divorciados e continuam a se dar bem, não há problema nenhum em ficarem juntos no altar.

Se a cerimônia for pequena, como fazer a triagem dos convidados?

Essa é a tarefa mais difícil. Não tem quem possa ajudar, não tem regra, não tem manual. Para fazer a lista, é mesmo necessário “enxugar” a quantidade de convidados. Porque não há como negar que, no fundo, os noivos querem convidar tudo e todos. Então, prepare-se para fazer um exercício de tirar algumas pessoas. Não tem critérios, é só convidar quem você quiser que vá de verdade ao seu casamento ou quem você tem uma absoluta obrigação de convidar – situação de gratidão por alguém muito grande, algum parente que sua mãe ama e ela vai ficar arrasada se você não convidar e coisas do gênero.

Pode convidar uma parte só para a cerimonia na igreja e não para a festa?

Já se usou muito isso, mas acho feio. É melhor não convidar do que convidar só para a cerimônia. Parece que você está tirando a pessoa da melhor parte. Evite!

Se o convite for endereçado para uma pessoa solteira, ela pode levar um amigo ou um "casinho" para a festa?

Pela regra antiga, não. Se o convite era individual, a pessoa ia sozinha. Mas os noivos vão acabar perdendo convidados na sua festa, pois muitos não se sentirão bem se forem sem companhia, ainda mais numa celebração de amor, de casal, como é o casamento. Por isso, hoje em dia, não é mais um problema. Se o convite for individual, a pessoa pode levar um acompanhante, sim. Os noivos, na hora de organizar a festa, já devem contabilizar os possíveis pares dos convidados solteiros e, de preferência, mandar no convite um aviso ou algo do gênero para a pessoa não se sentir mal em levar alguém.

Só porque tem comida e bebida à vontade significa que todos podem exagerar na festa?

A maior atrocidade que as pessoas fazem em casamento é exatamente isso. Parece até que foram condenadas à morte e que será a última refeição delas! Normalmente, comida de casamento é mais elaborada, diferente e gostosa. Mas essas coisas não justificam o exagero, nem o da bebida. Exagero nunca é bem-vindo. Além do mais, gente bêbada em casamento é chata.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos