Estilistas da SPFW dão dicas para madrinhas de casamento que ainda não sabem o que vestir

Bárbara Stefanelli e Cecília Leite
Do UOL, em São Paulo

Após receber o convite para ser madrinha de um casamento, logo surge a mesma dúvida em várias mulheres: “com que roupa eu vou?”. Escolher o modelo não é tarefa tão simples, já que as madrinhas também se destacam na cerimônia, principalmente nas mais tradicionais, realizadas no altar de uma igreja. E, ao contrário do hemisfério Norte, por aqui não é costume todas essas convidadas especiais usarem o mesmo modelo, já determinado pela noiva. Portanto, a escolha da peça toma um pouco mais de tempo.

Para simplificar a vida das madrinhas, o UOL Casamento consultou estilistas de moda festa da SPFW, evento que terminou nesta quinta (1º), na capital paulista. Para o expert Samuel Cirnansck, que confeccionou o vestido de casamento de famosas como Juliana Paes e Thaila Ayala, as madrinhas devem contar --e muito-- com a ajuda da noiva.

Opinião de fashionista

Arlindo Grund, apresentador e consultor de moda: "a noiva tem a obrigação de orientar as madrinhas na escolha do vestido --desde a cartela de cores até decidir se a peça vai ser estampada, por exemplo. Acontece de a madrinha ficar chateada, por exemplo, se já comprou um modelo caro, grifado, mas estampado, e depois a noiva barra estampa. Por isso, o ideal é resolver logo no início pelo menos essas duas questões [paleta de cor e estampas]. As madrinhas também nunca podem concorrer com a noiva. Elas devem fugir dos tons claros demais, que se confundem com o vestido matrimonial. Também acho que as madrinhas devem fugir do preto, mas podem apostar em brilho com moderação”.
Costanza Pascolato, empresária e consultora de moda: "para evitar confusão, a noiva pode sugerir modelos para as madrinhas usarem. Durante o casamento, a noiva deve sempre ser o centro das atenções --não as madrinhas e muito menos as convidadas. E não acho que a madrinha precisa se destacar entre as convidadas. Basta escolher um modelo elegante para ficar no altar. É muito importante que haja uma harmonia de cores no altar. Por isso, é bom que a noiva ajude na escolha. Não estou falando para fazer como nos países em que as madrinhas usam vestidos da mesma cor; mas cores que não combinam podem resultar em um visual feio [no altar]”.


“É obrigação da noiva falar para as madrinhas qual é o ‘dress code’ do evento. Por educação, ela deve avisar as convidadas sobre o tom da festa, assim a madrinha não fica apagada no altar. Deve haver uma unidade de cor e comprimento entre os presentes na festa, noiva e madrinhas.” Ainda sobre comprimento, Cirnansck aposta nos vestidos midi. “Tem mulher que não combina com longo e insiste, mas simplesmente não fica bem. Nesses casos, não é preciso ter medo em apostar em vestidos mais curtos, de comprimento midi. Modelos desse tipo também ficam bem no altar.”

Convidadas especiais
Segundo os estilistas, as madrinhas devem se sobressair na festa, mas sempre com bom senso. "Elas podem se destacar entre os outros convidados, mas não precisam abusar muito do brilho. Uma boa alternativa é investir em bordados com cristais, por exemplo, apenas para iluminar a peça", afirma Lino Villaventura. Rodrigo Rosner, da marca R. Rosner, também é da opinião que madrinhas, por serem convidadas especiais, devem se destacar, “mas sempre no tom do casamento”.

“Para manter a elegância, as madrinhas devem apostar em tons acobreados e no dourado. Não aconselho o uso do preto e, muito menos, do branco --por motivos óbvios. Elas também devem evitar cores muito claras, pois, na hora de tirar fotos, por causa do flash, pode parecer que o vestido é branco”, aconselha Rosner.  Ainda sobre a cor do vestido, Cirnansck ressalta que as madrinhas ficam melhores em tons mais baixos e sóbrios, como pastel, cinza ou nude. “Também acho que elas devem escolher tecidos mais leves, tipo musseline, seda ou crepe.”

Madrinhas uniformizadas
Em alguns países, como Estados Unidos, é bastante comum madrinhas vestirem peças iguais. No entanto, os especialistas em moda festa, não recomendam a ideia. “As pessoas não são iguais. Não dá para uniformizar todo mundo e a noiva deve dar liberdade para suas convidadas”, afirma Rosner. Mesmo ressaltando a importância de manter a unidade entre os convidados presentes no altar, Samuel Cirnansck também afirma que essa opção “apaga a personalidade das convidadas”.

Na dúvida, sempre vale consultar a noiva. Afinal, se você foi convidada para ser uma das testemunhas do enlace, é porque tem proximidade com o casal. “A madrinha costuma ser uma das melhores amigas da noiva e tem toda liberdade para pedir a opinião dela. A noiva só vai dar as dicas erradas se quiser ver uma inimiga passando vergonha no altar. O que também é bastante possível!”, brinca Rosner. 

SPFW adianta tendências de moda festa do Inverno 2013
Veja Álbum de fotos

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos