Troca de votos deve conter sonhos e histórias divertidas do casal

Mayara Alves
Do UOL, em São Paulo

  • Thinkstock

    Juras deixam a cerimônia mais pessoal e mostram aos convidados os sentimentos dos noivos

    Juras deixam a cerimônia mais pessoal e mostram aos convidados os sentimentos dos noivos

Comum nos casamentos norte-americanos, a tradição de fazer os votos pessoais também tem tomado os altares brasileiros, já que escrever os próprios votos é uma forma simples e carinhosa de prestar uma homenagem ao companheiro. "Os votos mostram aos convidados os sentimentos dos noivos naquele momento. Deixa a cerimônia mais pessoal do que quando apenas o padre fala algo que nem sempre combina com os dois", garante Adriana Gunther, consultora e assessora de eventos sociais.

Caso os noivos queiram fazer uma declaração de amor ao final da cerimônia, devem se preparar com bastante antecedência, pensando que é preciso reservar um tempo considerável para aprontar os votos. "O ideal é que comecem a escrever de dois a três meses antes da data da cerimônia, para que pensem bem na elaboração das frases", aconselha Adriana. Além do mais, segundo Reinaldo Polito, especialista em oratória e expressão verbal, nos dias que antecedem o casamento, o que não faltam são compromissos. "Por isso, nem sempre a cabeça está tranquila o suficiente para escolher as palavras mais apropriadas."
 
O que escrever?
Muito sentimento, muita história para contar, muitas palavras para serem ditas. Por isso, não é nada fácil escrever os votos. "Lembre-se de sempre falar das qualidades do companheiro, dos sonhos que têm juntos, como envelhecer juntos, ter filhos ou viajar. Cite lembranças marcantes e prazerosas --um banho de chuva, um caso engraçado ou um jantar. Quanto mais simples forem os momentos, melhor. Daqueles bobos e do dia a dia, mas que marcaram a história do casal", explica Rodrigo Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional.

E não basta um papel e uma caneta para escrever. É preciso um clima completo para acertar em cheio nas palavras que deseja compartilhar. Fonseca conta que é aconselhável reservar um tempo de dedicação completa. "Uma dica é colocar para tocar músicas que marcaram o relacionamento dos dois e ouvir sozinho e de olhos fechados, deixando as lembranças surgirem na cabeça." E continua: "Aí, com o papel na mão, você pode começar a escrever o esboço. A música ajuda na emoção. E quanto mais emoção tiver na hora de escrever, mais emoção terá na hora de dizer as palavras no casamento", explica. Em vez de fazer o ritual em casa, outra dica é correr para aquele lugar que marcou a história do casal.

Nem tudo deve ser dito

É interessante que alguns temas e termos sejam evitados nos votos. "Primeiramente, procure não usar a palavra 'não'. Como, por exemplo, 'não vou te deixar' ou 'não vou te trair'. Ali, vale dizer só o que é bom. Em um momento tão bonito, não é legal reforçar coisas negativas", afirma Rodrigo Fonseca. Adriana Gunther lembra também que falar de morte, sexo e usar palavras que não condizem com o momento nem do casamento não cai bem.
 
Caso a inspiração não apareça, é possível investir em algumas estratégias, como conversar com amigos que fizeram parte da história do casal desde o começou e peça para eles falarem o que acham da história dos dois, para contarem histórias que lembrem. "Pegue fotos, vídeos, cartas ou agendas antigas... É muito legal também incluir datas nos votos, no máximo duas, pois demonstra que o momento foi marcante", diz Rodrigo Fonseca.
 
Outra dica que vai deixar os votos ainda mais emocionantes e sinceros é imaginar que você está escrevendo a última carta da sua vida para o companheiro, como se fossem suas últimas palavras. "Desta forma, as palavras vêm mais verdadeiras, pois, infelizmente, o ser humano só valoriza as coisas quando as perde. E imaginar isso pode tornar o texto mais intenso", comenta Rodrigo.
 
Dicas para decorar
Decorar um texto não é fácil para a maioria das pessoas, ainda mais tendo que falar em frente de muitas pessoas. "Quase todos os noivos chegam muito nervosos na cerimônia. Por isso, nada impede que levem um cartão com o texto. Só o fato de saberem que, se esquecerem, poderão contar com alguma ajuda, muitas vezes, já é o suficiente para tranquilizá-los e fazer com que não esqueçam", diz Polito. Outra opção é anotar os votos em um rascunho no celular.
 
Se for um texto curto, Polito aconselha a dividi-lo em duas partes para decorá-lo. Primeiro, decore a primeira parte e, depois de conseguir discursar sem erros, decore a segunda para, então, treinar com tudo de uma vez. "Se os votos forem maiores, é possível dividi-lo em três ou quatro partes, para memorizá-las separadamente. E, assim que o texto estiver todo decorado, a fala deve ser ensaiada, incluindo as pausas e a naturalidade com que deseja falar na hora", indica o especialista.
 
Depois que você já estiver craque, a dica de Polito é gravar a apresentação com uma câmera e observar se as pausas estão adequadas, se o semblante está natural, se o volume da voz é o mais indicado e se as palavras estão sendo pronunciadas com boa dicção. "Mas esta etapa não deve ser realizada apenas em um ou dois dias. O treinamento precisa ser feito em dias espaçados para ter certeza que o texto está mesmo dominado e que a apresentação está natural, sem parecer que está decorada", completa.
 
Caso os noivos esqueçam ou não queiram decorar um texto, podem optar pelo improviso. "Mas é um risco, pois as palavras podem não surgir naquele momento de ansiedade e nervosismo. Além disso, muitas igrejas e templos verificam antes os votos para aprovação", finaliza Adriana Gunther.

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos