Conheça a rotina, os anseios e as experiências de um garoto de programa de luxo

RENATA RODE
Colaboração para UOL

Com uma simpatia irresistível, uma voz sedutora atende o telefone... Nome? Daniel Maia. Profissão: garoto de programa nas horas vagas. Sim, porque, normalmente, o belo moreno de olhos verdes faz pós-graduação e é formado em administração de empresas e trabalha na área. No auge dos 30 anos, o rapaz de corpo esculpido diz que tudo começou de maneira inesperada. “Fui abordado por uma booker de agência para fazer algumas fotos publicitárias. Acabei saindo com ela e, um belo dia, ela disse: ‘você sabe exatamente como fazer sexo com uma mulher, é incrível como lê meus pensamentos e desejos’. Esse foi o comentário que mudou minha vida”, revela. Depois de tomar coragem, Daniel colocou um anúncio em um site de classificados e exatos dois dias depois tinha três contatos. Quatro anos mais tarde, ele figurava como um dos acompanhantes de luxo mais requisitados de São Paulo.

 

A vida dele é bem agitada. O moreno acorda cedo, toma um café reforçado e vai para a academia. Malha, faz boxe e corrida na esteira. “Quando volto, leio alguma coisa e depois do almoço, me arrumo para ir ao trabalho. Quando tenho de atender minhas clientes chego um pouco atrasado”, confessa. Os contatos que o profissional do sexo faz são por telefone, e-mail ou Messenger. Daniel só atende mulheres e adora dar carinho e atenção a elas. “Digo que faço mais que o programa, porque, muitas vezes, não vamos direto ao ponto. Gosto de conversar, às vezes faço massagem... É legal fazer com que a mulher se sinta à vontade. Mulher é completamente diferente de nós na hora do sexo. Quanto mais relaxada, mais excitada ela vai ficar”, ensina.

 

Marqueteiro, o rapaz mantém dois sites e um blog na internet. Com conteúdo convidativo e fotos bem produzidas, ele anuncia: “Sou Daniel Maia, tenho 30 anos, hétero, sou universitário, massagista e escort”. Uma das partes em que a apresentação chama mais atenção é a que enumera os diferenciais dele como garoto de programa:

  • sou hétero, não atendo homens
  • atendo somente mulheres de alto nível
  • tenho condução própria, vou até você
  • tenho local para atendimento, caso você não tenha
  • faço massagem erótica
  • sou educado, culto e tenho nível superior
  • e mais: sou doador de sangue, o que me coloca em uma situação de extrema responsabilidade e compromisso com a minha saúde e das minhas clientes

 

O primeiro programa


Sua primeira cliente foi uma recém-separada. “Ela me ligou e disse que queria que eu fosse até sua casa porque as crianças estavam com o ex-marido. Ao chegar, tomamos um vinho e subimos para o quarto dela onde comecei a fazer uma massagem erótica. Tudo aconteceu gradualmente e foi tudo bem. Lógico que, como foi minha ‘primeira vez’, eu estava nervoso, mas tentei passar segurança para ela. E, claro, ela não sabia que era minha primeira cliente. Mas acho que foi bom, porque até hoje ela me contrata!”, fala. Logo depois disso, Daniel resolveu investir na segunda profissão e montou um blog.

 

Vida cheia de sonhos

 

Ele diz que quer sair dessa vida logo e, por isso, investe nos estudos. Ninguém dos amigos e da família sabe, mas Daniel se diz feliz com o que faz. Afirma que faz com carinho, mas pelo dinheiro, é claro. Ele não tem namorada, porque a rotina é atribulada, mas pretende se casar um dia e constituir família. Enquanto isso, trabalha para levantar-se financeiramente e recebe propostas de casamento das clientes. Seu sonho é ser político.


Quando perguntado se ser profissional do sexo vale a pena, ele responde rápido: “Se o cara achar que é uma vida em que se ganha dinheiro fácil, desista. É preciso ter muito juízo porque aparecem possibilidades absurdas, como ser cúmplice para ‘estragar’ o relacionamento de alguém, engravidar uma mulher que quer enganar seu parceiro e até usar drogas. “Eu recusei todas. Sou muito profissional e ético nesse ponto”, comenta.

 

Para ele, um dia rentável acontece quando atende uma cliente de manhã e passa a noite com outra. Daniel confessa que só faz dois programas por dia para resguardar o desempenho na hora do sexo. Para atender o tempo mínimo (uma hora), ele cobra R$ 200; o máximo (cinco horas), R$ 500; acima de cinco horas, é preciso combinar antes.


Pedidos estranhos


Daniel diverte-se quando se recorda dos pedidos estranhos de suas clientes. “Atendo vários: provador de roupa, ambiente de trabalho, escada de serviço. Mas acho que o mais diferente foi ter feito sexo no banheiro de um avião. Outra situação inusitada foi fazer sexo dentro de uma caixa d’água no alto do prédio”, conta.

 

Ficha completa:


Nome:
Daniel Maia
Idade: 30 Anos
Altura: 1,88 m
Peso: 90 kg
Olhos: verdes
Pés: 43
Signo: Libra
Fuma: não
Bebe: socialmente
Escolaridade: nível superior
Esportes: musculação, cooper


 

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos