Teste se você está preparada para morar com o namorado

  • Getty Images

    Se aconteceu o convite, calma. Pense e converse muito com o namorado para perceber as reais intenções de cada um antes de aceitar um test-drive

    Se aconteceu o convite, calma. Pense e converse muito com o namorado para perceber as reais intenções de cada um antes de aceitar um test-drive

  • http://img.uol.com.br/ico_grupodiscussao.gif CLIQUE AQUI E FAÇA O TESTE

De tanto você dormir na casa dele, esquece uma roupa, uma toalha, uma escova de cabelo. Então, durante uma conversa no jantar, vem a pergunta: “Vamos morar juntos?”. Tudo bem, não precisa entrar em pânico, afinal você foi convidada a fazer um test-drive antes de realmente resolver comprar a ideia do casamento. E pode ficar sossegada, hoje, isso é mais comum do que se pode imaginar. Porém, em uma hora como essa, o melhor é dialogar muito. Até porque o ideal é saber realmente quais são as intenções que estão por trás dessa decisão. “É preciso analisar o motivo de terem tomado essa decisão: se partiu dos dois, se ambos concordam em morar juntos por um tempo, se nenhum dos dois pensa em casamento no papel mesmo ou não”, avalia Carolina Escalona Perroni, psicóloga e especialista em análise de comportamento.

A especialista diz que muitas mulheres se iludem com a atitude de juntar os trapos e podem se arrepender depois. “O que eu vejo no meu consultório é que isso parte sempre da mulher, ela barganha essa situação porque quer um relacionamento mesmo. Para alguns homens, essa ação pode mascarar o fato de não querer casar naquele momento”, afirma. Sim, meninas, não pensem que tudo é mar de rosas. A decisão de morar com ele pode vir por motivos como incerteza perante o relacionamento ou mesmo por pura falta de vontade de oficializar o caso. “É preciso conversar muito para deixar tudo claro antes de dar esse passo, porque existem muitos homens que se unem com as pretendentes por não estarem tão certos do casamento. Como hoje você pode se desvincular fácil de uma vida a dois, as pessoas não estão dando tanta importância ao diálogo, e isso é um erro”, alerta a psicóloga.

Lista de sobrevivência da vida a dois

  • converse antes e exponha seus pensamentos
  • se você quer muito casar, deixe isso claro ao parceiro
  • tenha paciência, a convivência a dois é difícil principalmente no primeiro ano
  • seja flexível, não chegue à casa dele querendo tomar todo espaço ou fazer tudo do seu jeito
  • estabeleçam regras de harmonia juntos para evitar atritos desnecessários

Para a artista plástica Rose de Carppoti, de 42 anos, o diálogo é essencial. Ela mora com o marido há 15 anos, e não se arrepende por ter feito test-drive. “Fomos muito claros um com o outro, e a decisão de morar junto veio depois da notícia da minha gravidez. Como ambos não queriam casamento foi prático e gostoso, porque curtimos tudo desde o começo. Mas acho que esse passo só deve ser dado quando há muita cumplicidade e conversa mesmo”, diz.

Para Carolina, a comunicação deve ser impecável para que haja sucesso no relacionamento. “Devemos partir do princípio de que temos de treinar muito a habilidade social com o parceiro, saber conversar e estar no equilíbrio conjunto. Muitas vezes, as pessoas acham que o parceiro tem de adivinhar o que o outro pensa. Mas o ideal é falar o quer e pronto”, complementa.


 

 

 

 

 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos