Adolescência

Ser amigo dos filhos pode ser um problema; veja opiniões e dicas para uma relação equilibrada

KATIA DEUTNER
Colaboração para o UOL

  • Thinkstock

    Pais podem ser amigos dos filhos, mas sem esquecer de que há uma hierarquia nessa relação

    Pais podem ser amigos dos filhos, mas sem esquecer de que há uma hierarquia nessa relação


Embora muitos não acreditem, ser amigo dos filhos não é a relação ideal. "Pai é genitor, benfeitor, protetor, gerador, a origem. Amigo é uma pessoa a quem somos ligados por identificação, afeição, ternura. Os filhos não querem um pai-amigo, porque amigos eles já têm. São aqueles confidentes para questões do dia a dia, com quem tramam suas paqueras, suas saídas, jogam conversa fora", explica a psicóloga Walnei Arenque.


Se pensarmos que para ser amigo deve existir uma intimidade, pais e filhos podem ter uma relação de amizade, sim. "Mas há papéis que precisam ser cumpridos por ambos, para que o processo de crescimento e desenvolvimento das crianças seja tranquilo e favorável a todos. Respeitar a hierarquia e dar limites são alguns deles", explica o pediatra Moisés Chencinski. "E quando uma das partes não segue estes passos, e a relação familiar não é suficientemente forte, a estrutura corre riscos de ruptura, trazendo problemas."

 

 

Seis dicas para uma relação equilibrada com os filhos

1. Não fale que é amigo do seu filho. "Pai é pai e tem de dizer isso ao filho. Senão, ele vai tratar o pai como trata os amigos", afirma a psicóloga Walnei Arenque.
2. Não conte intimidades do casal. "Filhos não querem saber o que acontece na vida sexual dos pais. Aliás, eles acreditam que a mãe é assexuada", diz Walnei.
3. Não justifique os erros. "Os filhos erram e é aí que os pais entram para educar. Do contrário, eles aprendem que sempre haverá uma desculpa para tudo", diz a psicóloga.
4. Liberdade demais é ruim. "Crianças e adolescentes não têm maturidade para saber o que é certo e errado", afirma Walnei Arenque.
5. Imponha regras. "Amigo não obriga a fazer nada. E os pais devem dar limites. Esta é a sua função", diz Moisés. Estabeleça normas e horários para serem seguidos, como o das refeições ou de dormir.
6. Pais separados* devem entrar em acordo na educação dos filhos. "É prejudicial quando um se mostra mais bonzinho do que o outro, quebra limites ou enche de presentes para ser melhor aceito e visto como amigo. Sem limites, crianças e jovens terão sérias dificuldades em diferenciar o certo do errado ou entender noções de respeito", diz o pediatra.
* Saiba como conduzir uma separação sem desestabilizar emocionalmente os filhos

 

UOL Cursos Online

Todos os cursos