Veja como explicar às crianças dez questões complicadas, como pedofilia, morte e drogas

KATIA DEUTNER
Colaboração para o UOL

  • Thinkstock

    Quando os pais fazem rodeios sobre um assunto, prejudicam o desenvolvimento dos filhos

    Quando os pais fazem rodeios sobre um assunto, prejudicam o desenvolvimento dos filhos

Nem sempre a pergunta da criança é cabeluda, mas deixa os pais confusos sobre o que responder. Há temas complicados de abordar e até as escolas, muitas vezes, se equivocam ao tentar esclarecer dúvidas. Papos difíceis devem começar em casa. Às vezes, de acordo com a curiosidade da criança. Algumas situações exigem prevenção. Outras vezes é melhor esperar que a criança pergunte. "Época certa não há. As muito pequenas dificilmente entenderão determinados assuntos. Se surgir a curiosidade, explique de acordo com o entendimento dela –que varia conforme a idade", diz a psicóloga e psicopedagoga Ana Cássia Maturano.

O mais importante é não fazer um discurso moralista, longo ou que desperte o preconceito nas crianças. Pais podem não perceber o quanto prejudicam os filhos ao transmitir julgamentos preconceituosos. E as respostas não devem ultrapassar o que as crianças querem saber. "A conversa deve ser clara, verdadeira e adaptada ao vocabulário infantil. E se os pais forem pegos de surpresa ou não souberem a resposta, podem dizer. Afinal, os adultos estão em constante aprendizado, também", diz a psicóloga infantil Daniella Freixo de Faria.

Fazer rodeios, protelar ou ficar inseguro só prejudica. "Isso deixa o filho ainda mais curioso e sem informações úteis para que se desenvolvam satisfatoriamente", de acordo com a psicóloga clínica Patrícia Spada, pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Navegue pelas abas abaixo e veja como tratar dez assuntos delicados com as crianças:



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos