Restart responde cinco perguntas sobre calças coloridas para os meninos

FERNANDA SCHIMIDT
Da Redação

Mais do que refrões açucarados, a banda paulista Restart é famosa por disseminar o uso das calças coloridas e justas entre os jovens pelo Brasil.

Pe Lanza (baixo e voz), Pe Lu (guitarra e voz), Thomas (bateria) e Koba (guitarra) influenciam o figurino e os cabelos dos meninos fãs do “happy rock”, estilo marcado por músicas para fazer divertir, como gostam de dizer.

Veja o estilo dos meninos do Restart
Veja Álbum de fotos

O UOL Estilo aproveitou a vinda do quarteto ao bate-papo com convidados do UOL nesta semana para pegar umas dicas de como os meninos devem usar as calças coloridas.

Como combinar a calça colorida?
Thomas - Não adianta colocar muita cor, se não fica muita informação e poluído. Melhor deixar neutro o tênis e a camiseta.
Pe Lu - No palco e na televisão, você pode se permitir estar mais “Carnaval”, porque é outra pegada.
Pe Lanza - Você tem que saber ter uma “diagramação” entre as formas e as roupas para não ficar uma bagunça. A calça colorida dá um destaque bem legal, então você pode usar uma camiseta que chame a atenção pela estampa e não tanto pela cor.

Existe uma cor coringa?
Pe Lu - Pelo menos dentro do que já vi a galera usando e que fica bonito, o verde e o vermelho.
Thomas - Mas você não pode colocar verde com verde também, não pode virar um Teletubbie.
Pe Lanza - Depende do seu humor no dia. Influencia muito se você está triste ou feliz. O vermelho combina com tudo, é muito mais fácil.

E a cueca? Tem algum modelo que fica melhor, já que ela acaba aparecendo?
Pe Lanza - A gente gosta mais de cueca boxer.
Thomas – O Pe [Lu] não gosta.
Pe Lu - Eu detesto cueca boxer. Usava aquelas cueca de avô, feias para caramba. De tanto que os moleques falaram “Cueca feia, cueca feia”, comecei a usar aquela meia perna.

Como tem de ser a proporção da calça para não incomodar?
Koba - O corte que os meninos têm preferido é o skinny com a perna mais justa. O que importa é ir apertando da parte da coxa até a batata.
Pe Lanza - Quando você experimenta uma calça, ela pode ficar boa na cintura, mas às vezes na perna ou no comprimento não fica tão legal e você vai precisar mandar ajustar, fazer a barra. É mais fácil você mandar customizar e apertar do seu jeito. Minha mãe é quem ajusta as minhas calças. Ela aperta tanto pelo lado de dentro quanto pelo de fora.
Pe Lu - Tem esse tecido strech, que foi um milagre quando a gente descobriu. Às vezes, você olha e acha que a calça está “mó” apertada, mas ela estica. A gente nunca usou calça larga, desde os nossos 13 ou 12 anos gostamos dessas. Era difícil achar, mas agora as marcas começaram a dar uma afinada nas roupas. Tinha esse estigma de que todo homem é meio skatista e street.

Existe preconceito com os meninos que usam calça colorida?
Pe Lu - Do mesmo jeito que existe preconceito com menino que usa calça mais apertada. Essas coisas demoram anos para passar. Tem as brincadeiras de sempre, falam que é roupa de menina. Quando comecei a usar calça apertada, a galera tinha um preconceito pesado. Perguntavam: “Onde você comprou essa calça não tinha para homem?” e coisas desse tipo. Hoje, a gente percebe que tem menos. O colorido virou uma tendência, o que ajuda a eliminar um pouco esse preconceito.
Pe Lanza - É completamente ridículo, acho que é fase. Assim como teve a galera que chamava os skatistas de maloqueiros, porque eles usavam a calça larga, no joelho, tem preconceito hoje falando que a gente é gay por causa das cores. Daqui a pouco, isso passa também. Vão cansar de falar, porque não vou ligar e vai acabar ficando para trás.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos