Após anos de bullying, top da Chanel não se sente mais excluída

Fernanda Schimidt
Do UOL, em São Paulo

  • Silvia Boriello/UOL

    A top norte-americana Lindsey Wixson durante desfile para a Ellus no SPFW Verão 2014 (19/03/2013)

    A top norte-americana Lindsey Wixson durante desfile para a Ellus no SPFW Verão 2014 (19/03/2013)

A boca marcante, de lábios carnudos em formato de coração e dentes separados, lançou a modelo norte-americana Lindsey Wixson ao estrelato na moda em apenas meses de profissão. Anos antes, esta mesma característica havia sido motivo de tormento diário para a jovem de Wichita, no interior do Kansas, colocando-a no alvo de comentários maldosos na escola. "É tão grande que parece um estacionamento", dizia o bullying da época sobre a distância entre os incisivos centrais.

Hoje, aos 18 anos e com trabalhos para Chanel, Prada, Versace, Gaultier e McQueen, a top não se vê mais como uma "excluída". "Às vezes eu sou bem quietinha quando estou com pessoas que não conheço. Mas, em outras, encontro alguém que tem os mesmos interesses que eu e fico bastante empolgada", disse Lindsey em entrevista ao UOL momentos antes de desfilar para a Ellus, no encerramento do segundo dia de desfiles para o Verão 2014 no São Paulo Fashion Week. Ela será também o rosto da marca para o Verão 2014.

O passado traumático, segundo ela, não merece atenção pós-sucesso. "Não falo com as pessoas que foram más comigo. Não quero ser grossa, não acho que seja necessário" afirmou.

De fala calma e olhar tímido, a modelo está em sua segunda visita profissional a São Paulo. A estreia ocorreu há três anos para fotografar a campanha Inverno 2010 da Alcaçuz. Lá ou agora, Lindsey não teve tempo de conhecer a cidade, mas espera ansiosamente por um passeio nas praias de Salvador, ainda sem data marcada. 

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos