Maquiagem que promete tratar a pele funciona, mas é preciso ficar atenta na hora da compra para não se frustrar

SHÂMIA SALEM

Colaboração para o UOL

Foi-se o tempo em que a maquiagem apenas coloria o rosto e disfarçava imperfeições como manchas e olheiras. A tendência agora é que base, corretivo e companhia ajudem a tratar, proteger e prevenir o envelhecimento da pele. A promessa é tentadora, mas será que realmente funciona? “Os cosméticos novos não substituem o cuidado convencional realizado com creme hidratante e filtro solar. Mas somam benefícios e, sinergicamente, cuidam mais intensivamente da pele”, diz Juliana Barros, gerente da categoria de maquiagem Avon Brasil.

  • Montagem UOL/Divulgação

    Bases, batons, corretivos e até máscara para cílios: inovações cosméticas fazem da maquiagem aliada ao tratamento da pele

Concorda com ela a dermatologista Denise Steiner, professora titular e chefe do serviço de dermatologista da Universidade Mogi das Cruzes, em São Paulo: “A maquiagem formulada com protetor solar ajuda a prevenir efetivamente o envelhecimento precoce e o câncer cutâneo”. Vale lembrar que esse é o tipo de câncer mais frequente no Brasil, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no país, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Mas, para proteger de verdade, a dermatologista Valéria Marcondes, de São Paulo, lembra que a maquiagem deve ter FPS 15, no mínimo, e ser reaplicada de quatro em quatro horas.

Para fazer valer o investimento

Na hora da compra, leia a formulação do cosmético descrita na embalagem e procure por estes itens, que são os mais recomendados pelos dermatologistas:

• proteção contra a radiação UVA, que é responsável pelas manchas e pelo envelhecimento precoce.
• FPS 15, no mínimo, para proteger contra os raios ultravioleta B, que podem causar queimadura, câncer e acelerar o aparecimento de rugas e linhas finas.
• zinco e magnésio. “Esses minerais ajudam a controlar a oleosidade excessiva”, lembra a dermatologista Valéria Marcondes.
• antioxidantes, como licopeno, vitaminas C e E e extrato de café verde, auxiliam no combate ao envelhecimento precoce
• tensoativos. “Elastinol, vitamina A e derivados da soja, por exemplo, atuam na melhora da firmeza, elasticidade e redensificação da pele, que vai ficando mais fina e frouxa com o passar dos anos”, conta Luciana Villa Nova, gerente de desenvolvimento de produtos da Natura.
• ácido hialurônico, colágeno, ceramidas, aloe vera e pantenol. “Quando presentes em batons e glosses, eles ajudam a hidratar e reter a umidade natural dos lábios evitando a formação de linhas conhecidas como código de barras”, diz a dermatologista Fernanda Casagrande.
• vitaminas A, C e K favorecem o clareamento de manchas e olheiras.

  • Montagem UOL/Divulgação

    Bases, batons, corretivos e até máscara para cílios: inovações cosméticas fazem da maquiagem aliada ao tratamento da pele

A textura faz diferença

A forma de apresentação do cosmético é decisiva para garantir a ação dos ativos da formulação. “As bases líquidas em geral contêm emolientes que ajudam na permeação adequada dos ingredientes na pele. Por isso o cosmético está entre os que melhor conferem resultado no rosto”, diz Luciana Villa Nova. Isso não quer dizer que a base na versão em pó não trate: ela é uma boa pedida quando enriquecida com FPS, já que o filtro deve ficar sobre a pele.

Peles que exigem cautela

Quem tem pele oleosa ou com acne precisa ficar atenta com a maquiagem, seja ela de tratamento ou não. Isso porque alguns ativos podem aumentar a produção de sebo e estimular o aparecimento de cravos e espinhas. Para evitar problemas, escolha cosméticos não comedogênicos e livres de óleo, também chamados oil free. “Já para não irritar uma pele sensível ou alérgica é imprescindível usar linhas hipoalergênicas e dermatologicamente testadas”, avisa a dermatologista Sara Bragança, do Rio de Janeiro.
 

UOL Cursos Online

Todos os cursos