Dior Addict nunca vai ter o mesmo cheiro para duas pessoas. Talvez nem para você

por Chandler Burr, do "The New York Times" *
Notas Perfumadas

  • Criadora: Dior Avaliação:

Dior Addict ou é uma das fragrâncias tradicionais mais estranhas que já surgiram ou é uma das mais normais dentre as estranhas. Depende de como você a cheira. Mas esteja avisado que Addict é um daqueles perfumes que parecem um teste olfativo [do exame psicológico criado por Hermann] Rorschach: as opiniões podem variam muito, ele nunca vai ter o mesmo cheiro para duas pessoas, e se você usá-lo dois dias seguidos, ele não vai necessariamente ter o mesmo cheiro nem para você.

Addict teve a direção criativa do designer da Dior, John Galliano, e foi criado pelo perfumista Thierry Wasser, que foi recentemente contratado por François Demachy, do grupo LVMH, e se transformou no perfumista da maison Guerlain. Wasser agora subiu ao status da superelite dos perfumistas das maisons, que incluem Jean-Claude Ellena, da Hermès, Jacques Polge e Christopher Sheldrake, da Chanel, Mathilde Laurent, da Cartier e Jean-Michel Duriez, da Jean Patou.

Seu primeiro trabalho na Guerlain, o Guerlain Homme, que foi lançado mês passado, é um masculino bem durável, do tipo que que funciona hoje mas poderia ter funcionado tão bem nos anos 60 quanto agora. O Dior Addict de Thierry Wasser, pelo contrário, foi apresentado em 2002; discutivelmente ele teria funcionado em 1925 como uma versão maximal-minimalista do Shalimar (tire tudo exceto o aromatizante etilvanilina, acrescente gás neon e faça um corrente elétrica passar por ali) e é possível que ele funcionasse em 2025. Ele é assim diáfano - e assim peculiar.

Sim, Addict é uma obra de arte de cumarina (a molécula sintética mastigável, como uma bala puxa-puxa, vagamente amendoada e derivada do cumaru-verdadeiro) e baunilha, mas o quanto isso interessa a você? Para alguns, ele soa como uma lâmpada gigante e empoeirada: morno, sem contornos e levemente aterrador.

Em alguns momentos, achei que ele era fenomenalmente irritante, como aquelas telas totalmente brancas expostas em museus e que nos obrigam a concluir que a arte moderna é realmente uma fraude. Em outros momentos, ele parece gerar um punhado de grama submerso em óleo da baunilha, como uma bola de sorvete de creme com um pequeno graveto verde quebrado no meio que foi parar ali sem querer.

O trabalho do perfumista é tecnicamente sólido - Addict funciona bem na pele, sua fixação e intensidade agem como um relógio. É a sua estética que continua sendo a questão. Mas nada que é firmemente indefinível pode não ter valor. Olhe para esta pintura e veja o que você pensa.

Dior Addict
Dior
sephora.com
 

Tradutor: Erika Brandão

UOL Cursos Online

Todos os cursos