Financiamentos superam pagamento à vista na aquisição de imóveis em SP

SÃO PAULO – O financiamento superou as compras à vista na aquisição de imóveis usados na capital paulista. Em maio, 50,84% dos imóveis vendidos foram por meio de financiamento, contra 46,43% à vista, de acordo com o Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo).

No quinto mês do ano, a Caixa Econômica Federal foi responsável por 34,66% desses financiamentos, enquanto as demais instituições responderam por 16,18% das vendas por meio de crédito imobiliário. Em abril, a CEF representava 29,11% dos financiamentos da capital.

Na capital, imóveis comercializados diretamente com o proprietário representaram 2,73% do total das vendas em maio. Não houve registros de vendas efetuadas por meio dos consórcios. Ao todo, foram vendidos 477 imóveis usados, número 25,58% maior que o registrado em abril.

O aumento é o quarto seguido e, para o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, os resultados demonstram que o mercado está aquecido e em processo de recuperação da crise financeira internacional.

Altas e baixas nos preços

O preço dos imóveis usados na cidade de São Paulo subiu 4,27% em maio deste ano em relação a abril, quando o aumento médio ficou em 4,61%. Do total de imóveis vendidos, 19 tipos se valorizaram e 14 apresentaram valores médios menores do que os de abril.

O imóvel que mais aumentou foi o apartamento de padrão médio, com até sete anos, localizado na Zona C  (Santana, Tucuruvi e Vila Romana), cujo preço do metro quadrado passou de R$ 3.013,70 em abril para R$ 4.901,85 em maio – alta de 62,65%.

Na Zona C também foi registrada a maior queda do preço médio de imóveis usados vendidos em maio. O preço do metro quadrado de um apartamento de padrão médio e com oito a 15 anos de construção ficou em R$ 2.795,08 em maio – valor 37,73% menor que o verificado em abril, quando o metro quadrado custava R$ 4.488,72.

UOL Cursos Online

Todos os cursos