Na Grande SP, imóveis de dois dormitórios representaram 40% das vendas em maio

SÃO PAULO – Os imóveis com dois dormitórios lideraram as vendas em maio na Região Metropolitana de São Paulo e se destacaram nas comercializações da capital paulista.

De acordo com pesquisa do Secovi (Sindicato da Habitação), foram vendidos 1.657 imóveis de dois dormitórios no quinto mês do ano na região metropolitana. O número equivale a 40% dos 4.149 imóveis comercializados em maio na Grande São Paulo.

Considerando apenas os imóveis comercializados na capital paulista, os de dois dormitórios representaram cerca de 23,3% dos 1.949 imóveis vendidos. Para o Secovi, essa diferença deve-se à falta de planejamento urbano.

“Mais uma vez fica clara a necessidade de revisar a legislação urbanística no município de São Paulo, que dificulta a viabilização de moradias voltas à classe média emergente”, considerou, por meio de nota, o economista-chefe do sindicato, Celso Petrucci.

Além dos imóveis de dois dormitórios, os de três dormitórios entraram na lista das preferências na Grande São Paulo. Em maio, o segmento representou 34,2% das unidades vendidas. Já imóveis de quatro dormitórios representaram 18,1% do total de imóveis comercializados.

Vendas caem

Seguindo o mesmo ritmo de vendas da capital paulista, que registrou queda de 51% em maio, as comercializações na Grande São Paulo também caíram (-46,3%). Foram vendidas 4.149 unidades no quinto mês do ano, contra 7.728 um mês antes.

De acordo com o estudo, apenas a cidade de São Paulo representou 47% das vendas e as outras 38 cidades da região registraram 53% de participação.

O indicador VSO (Vendas sobre Oferta), que mede a relação do total de unidades vendidas e a oferta de imóveis novos no mês, aponta que o ritmo de comercialização atingiu 15,7% na Região Metropolitana, índice menor que o registrado em abril (26,2%).

O desempenho na Grande São Paulo em maio foi inferior ao da capital paulista, cujo VSO ficou em 16,7% no mês, contra os 25,3% de abril.

Lançamentos

De acordo com relatório divulgado pela Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos), em maio, o volume de lançamentos foi maior que o número de imóveis vendidos. No mês, 4.592 moradias foram lançadas.

Contudo, considerando o acumulado deste ano, de janeiro a maio, a situação é inversa: ocorreram 23.381 lançamentos, mas 28.674 unidades foram vendidas – um deficit de 5.293 imóveis entre os dois indicadores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos