Aluguel: contratação de seguro-fiança para de crescer em SP

SÃO PAULO – A participação do seguro-fiança entre as modalidades de garantia das locações residenciais na cidade de São Paulo se estabilizou entre 2010 e o ano passado.

Levantamento feito pela Lello, empresa de administração imobiliária, apontou que, neste ano, 25% dos contratos de locação firmados foram realizados por meio do seguro-fiança. Em 2009, o percentual verificado pela administradora foi o mesmo.

Ainda assim, a modalidade seguem em alta na comparação com períodos anteriores. Em 2004 e 2005, por exemplo, a participação do seguro havia sido de 9% e 13%, respectivamente.

Fiadores

Os fiadores também estacionaram no índice de participação nas locações, com 60% dos contratos de aluguel neste ano, mesmo índice apurado em 2009 e 2008.

O depósito caução seguiu pelo mesmo caminho e se manteve nos 10% do total de locações, desde 2008. Fiança bancária, caução de imóvel e carta fiança, que juntas vêm representando 5% do total, também mantiveram os seus patamares.

“O seguro-fiança teve expressivo crescimento ao longo desta década, dobrando sua participação no mercado, chegando agora a um patamar de estabilidade. É uma modalidade interessante, especialmente para os candidatos a inquilinos que não desejam pedir favores a amigos e parentes, em busca de um fiador”, afirma a diretora da Lello Imóveis, Roseli Hernandes.

Modalidades

Uma pesquisa feita pelo Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo), divulgada no início do mês, revelou que três novas modalidades de garantia em locações começaram a ganhar espaço nos contratos realizados em setembro na cidade de São Paulo.

A locação sem garantia, o aluguel com caução de imóveis e o por cessão fiduciária apareceram, cada um, em 0,32% dos contratos efetivados nas 531 imobiliárias pesquisadas.

UOL Cursos Online

Todos os cursos