Quando vale a pena parcelar o IPVA e o IPTU?

SÃO PAULO – Pagar os impostos à vista para garantir os descontos é sempre uma boa opção para quem quer economizar. Mas, para quem não fez o planejamento financeiro adequado,´dá para parcelar os débitos e quitá-los ao longo do ano.

Contudo, esse parcelamento pode pesar durante meses no bolso de quem não costuma se planejar e uma pergunta pode surgir: até que ponto vale a pena parcelar impostos como o IPTU e o IPVA?

Os proprietários de veículos licenciados em São Paulo têm desconto de 3% para o pagamento à vista do imposto ou a opção de pagar em até três vezes o débito.

Já quem escolher pagar o IPTU em cota única terá desconto de 6% ou tem a opção de parcelar em 10 vezes iguais. Dependendo do valor do débito, ficar três ou dez meses pagando pode não ser uma opção financeiramente saudável.

“Quem pagar parcelado precisa ajustar o orçamento à parcela”, acredita o professor de Finanças do Insper, Ricardo Rocha.

Para ele, muitos contribuintes acabam não percebendo o peso que o parcelamento, no caso do IPTU, que é mais longo, pode ter no orçamento. E não atentam a isso quando buscam um bem para comprar.

No caso dos imóveis, o imposto pode até comprometer a renda dos mais desatentos. “Como os imóveis, principalmente em São Paulo, estão se valorizando, daqui a pouco a despesa com o IPTU vai ser muito próxima a do aluguel”, afirma.

O mesmo ocorre com o carro, na avaliação do professor. “Nem sempre a pessoa compra um veículo compatível com a renda e estilo de vida. Ou ele tem um carro com padrão inferior ao que poderia ter ou, o que é pior, um com padrão superior ao que pode”.

E quando vale a pena?

O parcelamento dos impostos vale a pena quando o orçamento não dá conta de pagar à vista. “Se você tem caixa, o pagamento à vista sempre vale a pena”, ressalta o sócio-diretor da Divisão de Auditoria da Crowe Hortwath RCS, Alfredo Ferreira Marques Filho. Somente para quem não tem reservas ou não fez um planejamento é que o parcelamento vale a pena.

Mas até mesmo na hora de optar pelas prestações é preciso planejamento. “O ideal é que o contribuinte só comprometa um terço do orçamento com financiamentos, incluindo o parcelamento dos impostos”, afirma Marques.

Se, no fim, o que vale mesmo é pagar à vista, então, talvez um empréstimo possa resolver o problema. Na avaliação dos especialistas consultados, essa opção não deve passar pela cabeça dos contribuintes. “Nenhuma taxa hoje vai lhe custar menos que 2% ou 2,5%, mesmo o crédito consignado”, afirma Marques. “As pessoas devem evitar usar crédito para pagar imposto”, completa Rocha.

Sem dinheiro em caixa e sem a possibilidade de contratar crédito, o que resta é mesmo parcelar o valor dos impostos, mas com planejamento, sem estourar o orçamento.

Precavendo-se

Para não acabar cometendo algum erro nas finanças pessoais, os especialistas recomendam aos contribuintes já irem se planejando para o pagamento dos impostos de 2012. Isso mesmo: planejar-se durante um ano inteiro é melhor que apertar o cinto no início do ano.

“Para quem não tem disciplina de investir, sugiro que criem caixinhas, a do IPVA e a do IPTU, para ir depositando todo o mês determinada quantia para quitar os impostos à vista”, sugere Rocha. Assim, em 2012, você garante o desconto e uma sobra de recursos, que devem ser guardados para o próximo ano.

O professor ainda ressalta que os contribuintes devem ficar de olho nos benefícios que podem garantir mais descontos no imposto. Em todo o estado de São Paulo, por exemplo, quem pedir nota fiscal ao realizar compras pode garantir desconto no IPVA.

Para tanto, é necessário que o proprietário indique o veículo que deve receber o desconto no sistema da Nota Fiscal Paulista. Neste ano, 314 mil paulistas garantiram uma economia de R$ 57,097 milhões.

Já para quem é da capital paulista é possível garantir desconto no IPTU com a Nota Fiscal Eletrônica – emitida por prestadores de serviços, como colégios, escolas de idiomas, academias de ginástica, cabeleireiros, hotéis, estacionamentos, lavanderias, entre outros.

Assim como no IPVA, os contribuintes devem fazer a indicação do imóvel que será beneficiado com o abatimento. Neste ano, 40 mil imóveis receberão o desconto.

UOL Cursos Online

Todos os cursos