Valor dos novos contratos de aluguel em SP sobe 1,2% em janeiro

SÃO PAULO - O valor de novos contratos de locação residencial de apartamentos e casas na cidade de São Paulo registrou alta de 1,2% em janeiro, segundo dados do Secovi-SP (Sindicato de Habitação do Estado de São Paulo), divulgados nesta quarta-feira (23).

“O fato de o aumento ter sido inferior às altas de dezembro (1,9%) e novembro (1,6%) é um indicativo de que os preços podem até rumar para a estabilização nos próximos meses”, afirma o vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP, Francisco Crestana.

Considerando os últimos 12 meses terminados em janeiro, o Sindicato constatou uma variação acumulada de, em média, 14,57% no valor do aluguel.

No que diz respeito aos contratos em andamento, com aniversário em fevereiro e reajuste atrelado ao IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado) da FGV (Fundação Getulio Vargas ), eles apresentaram variação de 11,50%, considerando o período entre fevereiro de 2010 e janeiro de 2011.

Unidades com mais dormitórios têm menor alta

Os imóveis de três dormitórios foram os que apresentaram menor alta no reajuste do aluguel em janeiro, de 0,5%. O valor do aluguel das unidades de dois dormitórios apresentou aumento um pouco mais intenso, de 1,2%.

Por sua vez, os imóveis de um dormitório registraram o maior aumento do período, de 1,5%. "Residências de 1 e 2 dormitórios são artigo raro no mercado hoje em dia. Há fila de espera por esse tipo de imóvel em todas as regiões da capital", diz Crestana.

No mês passado, as casas e sobrados foram alugados mais rapidamente, com uma espera média de 12 a 29 dias. Já os apartamentos foram alugados, em média, em 18 e 38 dias.

Considerando as garantias, 50% dos contratos utilizaram o fiador no mês passado, já 30% utilizaram o depósito como garantia e o seguro-fiança foi utilizado em cerca de 20% dos contratos de locação na capital paulista em janeiro.

UOL Cursos Online

Todos os cursos