Cai preço médio de imóveis na cidade de São Paulo

SÃO PAULO - O preço médio dos imóveis da cidade de São Paulo caiu 1,4% em janeiro, em relação a dezembro do ano passado.

De acordo com pesquisa do Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo), em 23 tipos de imóveis dos quais se apuraram os preços médio efetivos de vendas, 12 ficaram abaixo dos de dezembro.

O preço que mais caiu em janeiro foi o de casas de padrão médio com até 7 anos de construção e situadas na Zona D (Cidade Ademar, Cupecê, Freguesia do Ó e Imirim, entre outros). O preço médio do metro quadrado foi de R$ 1.650,57 em janeiro, valor 31,63% menor que os R$ 2.414,29 registrados em dezembro.

Já o preço que mais subiu foi o de apartamentos de padrão médio com tempo de construção entre 8 e 15 anos e situados em bairros da Zona A (Campo Belo, Cidade Jardim, Higienópolis e Itaim Bibi, entre outros). O aumento foi de 38,42%, com preço médio do metro quadrado passando de R$ 3.303,25 em dezembro de 2010, para R$ 4.572,24, em janeiro deste ano.

Vendas

Quando se trata do valor, a pesquisa ainda mostra que os paulistanos preferem imóveis usados com valor superior a R$ 200 mil, que tiveram participação de 67,61% nas vendas.

Considerando a faixa de preço abaixo de R$ 200 mil, que representou 32,39% dos imóveis vendidos na capital paulista, os mais procurados foram os de valor de R$ 141 mil a R$ 160 mil, com 8,52% da preferência, conforme tabela a seguir:

 

Valor do imóvel (R$) Percentual
Até 40 mil nulo
De 41 a 60 mil nulo
De 61 a 80 mil 0,57%
De 81 a 100 mil 0,57%
De 101 a 120 mil 5,68%
De 121 a 140 mil 7,39%
De 141 a 160 mil 8,52%
De 161 a 180 mil 6,25%
De 181 a 200 mil 3,41%
Acima de 200 mil 67,61%
Fonte: Creci-SP

Quando analisadas as regiões de São Paulo, o maior percentual de vendas foi registrado na zona C, que engloba bairros como Aeroporto, Barra Funda e Tatuapé, que apresentou 25,56% do total. Em seguida, está a zona A, que participou com 24,44% das vendas.

Pagamento

De acordo com os dados, 180 apartamentos e casas usados foram vendidos na capital em janeiro pelas 501 imobiliárias consultadas pelo Creci-SP.

Metade das vendas se deu por financiamento, sendo que 35,56% foram contratados na CEF (Caixa Econômica Federal) e 14,44%, em outros bancos. Já 0,56% das vendas ocorreram diretamente com o proprietário e 0,56%, por meio de consórcio. Já as vendas à vista totalizaram 48,89%.

UOL Cursos Online

Todos os cursos