IBGE: número de imóveis financiados com FGTS aumenta 50% em 2009

SÃO PAULO – O número de imóveis financiados com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviços) aumentou 48,6% entre 2008 e 2009, conforme mostra Pesquisa Anual da Indústria da Construção, publicada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (17).

A pesquisa mostra que, em 2009, o número de unidades financiadas cresceu de 287.837 para 427.587 na comparação com 2008. Ao todo, os recursos do fundo para construção, reforma, saneamento, urbanização e aquisição de terrenos somaram R$ 16 bilhões naquele ano, ante os R$ 10,4 bilhões do ano anterior – um aumento de 53,84%.

O crescimento da utilização dos recursos do fundo para aquisição de imóveis foi maior que o aumento do uso dos recursos da caderneta de poupança. No período, houve aumento de apenas 1% no número de unidades financiadas com o recurso. Foram 299.746 unidades em 2008 contra 302.680 em 2009.

Segundo dados do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos, o valor dos recursos da caderneta de poupança para financiamento de imóveis cresceu menos que o valor dos recursos do fundo, mas o montante é maior e passou de R$ 30 bilhões para 34 bilhões entre 2008 e 2009, uma alta de 13,34%.

Crédito imobiliário em crescimento
Os pesquisadores do IBGE apontam que o crédito imobiliário vem apresentando crescimento robusto nos últimos anos, tanto em valor contratado como em número de imóveis financiados. Eles apontam que o aumento da renda e a expansão do emprego, a maior segurança jurídica e a ampliação dos prazos de financiamento e redução dos juros estimularam o crescimento.

Aliado a isso, o crescimento do número de empresas que atuam no setor ajudaram a compor o quadro favorável. Em 2008, 57,1 mil empresas atuavam no setor. Em 2009, esse número passou para 63,7 mil.

Essa alta, estimulada pela maior renda e pelo bom momento pelo qual passa o mercado de trabalho, também deve-se ao crescimento dos desembolsos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e pela expansão das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), que elevou o número de obras de infraestrutura.

Em 2009, as empresas de construção realizaram incorporações, obras e serviços no valor de R$ 199,5 bilhões – um aumento de 12% frente a 2008. A receita operacional líquida cresceu na mesma proporção em termos reais e alcançou R$ 189 bilhões em 2009.

UOL Cursos Online

Todos os cursos