Apartamentos em andares altos chegam a custar 10% mais, mas têm maior liquidez

SÃO PAULO – Os imóveis situados em andares mais altos custam entre 5% e 10% a mais do que os apartamentos mais baixos. "A variação existe e tem fator simples para avaliarmos, que é a salubridade. Os apartamentos mais altos recebem maior ensolação e têm mais ventilação", explica o diretor de Comercialização e Marketing do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), Luiz Fernando Gambi.

A gerente de Negócios da Lello Imóveis, Elaine Baiter, ainda lembra que a procura por andares superiores é maior porque eles têm menos barulho, tendem a dar menos problema no encanamento – principalmente os mais antigos – e possuem uma bela vista.

Liquidez
Porém, apesar do preço mais elevado dos imóveis altos, Elaine afirma que eles possuem maior liquidez. "Dá para afirmar isso com segurança", reitera.

Gambi, por sua vez, pondera que os apartamentos mais altos vão ter maior liquidez quando possuem boa entrada de sol, ótima ventilação, que estão em condições iguais de conservação e possuem uma vista exuberante.

Vista bonita
Apesar da vista ser um fator que agrega valor ao imóvel, é preciso tomar cuidado com ela. "Se algum edifício é erguido na frente da vista, o imóvel perde um pouco o valor, pois não tem mais o apelo da venda pela altura", salienta Elaine.

"A vista é muito relativa, pois é preciso ter a garantia de que ela vai permanecer", alerta Gambi, apontando os casos em que são colocadas antenas no prédio próximo, que ficam bem na frente da janela e o morador perde a vista bonita. "As zonas fronteiriças a parques, por exemplo, têm mais garantia. Mas, ainda assim, é imponderável".

Velho x novo
Gambi acredita que a variação de preço por conta da altura é maior nos imóveis mais novos e, conforme passa o tempo de uso, o fator primordial para mudanças de preço passa a ser a conservação dos imóveis.

Para Elaine, é delicado comparar apenas pela altura imóveis de terceiros – são aqueles que pertencem a uma terceira pessoa ou empresa, não sendo mais da construtora. "Não existe um imóvel de igual para igual, como há no caso dos lançamentos, mas apenas os semelhantes", acrescenta.

Assim, ela lista os fatores que também vão influenciar os preços dos imóveis: o padrão de acabamento e conservação, a documentação em ordem, o valor do condomínio e o conforto (metragem do apartamento).

UOL Cursos Online

Todos os cursos