SP: apesar da queda das vendas, imóveis usados ficam mais caros em maio

SÃO PAULO – Os imóveis usados ficaram 4,23% mais caros em maio, na comparação com abril, apesar das vendas terem recuado no período. De acordo com pesquisa divulgada pelo Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) nesta quinta-feira (7), o índice de vendas, que estava em 0,5221 em abril, baixou 5,44%, para 0,4937 em maio.

Os imóveis usados com valor superior a R$ 200 mil continuaram sendo os preferidos dos paulistanos no mês retrasado, com participação de 69,13% das vendas.

Quando analisadas as regiões de São Paulo, o maior percentual de vendas foi registrado na zona B, que engloba bairros como Aclimação, Consolação e Vila Madalena, com 31,06% do total. Em seguida, está a zona D, que inclui bairros como Bela Vista, Jaçanã e Vila Alpina, que participou com 25,53% das vendas.

Preços
Considerando a faixa de preço abaixo de R$ 200 mil, que representou 30,87% dos imóveis vendidos na capital paulista, os mais procurados foram os de valor de R$ 161 mil a R$ 180 mil, com 13,91% da preferência, conforme tabela a seguir:



Percentual de venda de imóveis
na capital paulista
Valor do imóvel
(R$)
Percentual
Até 40 mil 0,43%
de 41 a 60 mil nulo
de 61 a 80 mil 1,74%
de 81 a 100 mil 0,43%
de 101 a 120 mil 4,35%
de 121 a 140 mil 1,30%
de 141 a 160 mil 3,91%
de 161 a 180 mil 13,91%
de 181 a 200 mil 4,78%
acima de 200 mil 69,13%
Fonte: Creci-SP


Vendas
De acordo com os dados, 235 apartamentos e casas usados foram vendidos na capital em maio pelas 476 imobiliárias consultadas pelo Creci-SP.

A maioria das vendas se deu com financiamento – 54,89% do total. As vendas à vista totalizaram 43,4%, enquanto as financiadas pelos proprietários responderam por 1,7%.

UOL Cursos Online

Todos os cursos