Preço do aluguel residencial acelera e sobe 1,06% em agosto

SÃO PAULO – O aluguel residencial ficou mais caro em agosto e foi um dos responsáveis pela aceleração da inflação prévia. Segundo dados do IPCA – 15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo -15), divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (19), o aluguel residencial registrou variação de 1,06% em agosto, contra 0,46% de alta no mês anterior.

Entre as capitais, Belo Horizonte apresentou a maior alta no preço do aluguel residencial (2,20%), seguida por Brasília (2,07%) e Recife (1,65%).

Acumulado
No acumulado do ano, o aluguel residencial registrou variação de 7,48%, com destaque para Belo Horizonte (11,24%), Distrito Federal (9,69%) e Recife (9,07%). Já nos últimos doze meses, o aluguel registrou taxa de 8,51%. Em Belo Horizonte, a alta foi de 12,09%, enquanto em Curitiba houve variação de 10,91%, conforme a tabela a seguir:

Variação do item aluguel residencial
Capital Agosto Acumulado do ano 12 meses
Rio de Janeiro 0,28% 7,26% 7,91%
Porto Alegre 0,72% 5,20% 6,24%
Belo Horizonte 2,20% 11,24% 12,09%
Recife 1,65% 9,07% 7,59%
São Paulo 1,11% 7,30% 8,14%
Distrito Federal 2,07% 9,69% 9,65%
Belém 0,13% 6,40% 5,69%
Fortaleza 1,34% 7,57% 6,30%
Salvador 1,12% 4,69% 8,75%
Curitiba 0,62% 6,32% 10,91%
Goiânia 0,34% 8,68% 7,26%
Nacional 1,06% 7,48% 8,51%
Fonte: IBGE

Habitação em geral
No geral, o grupo habitação registrou variação de 0,32% em agosto, ante taxa de 0,28% verificada no mês de julho.

De acordo com o IBGE, o item condomínio registrou queda de 0,53% em agosto, com destaque para Porto Alegre (-2,19%) e Curitiba (-1,41%). Já o item encargos e manutenção registrou taxa de 0,55% no oitavo mês do ano.

UOL Cursos Online

Todos os cursos