Construção e reforma

Custo da construção sobe 0,37% em março, de acordo com a FGV

SÃO PAULO - O brasileiro gastou 0,37% a mais para construir no mês de março, segundo informações do INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção) da FGV (Fundação Getulio Vargas), divulgado nesta terça-feira (27).

A variação é 0,05 ponto percentual menor do que a registrada em fevereiro, quando ficou em 0,42%. Nos últimos 12 meses, o INCC-M, que é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês atual, tem variação acumulada de 7,85%, enquanto que no ano é de 1,46%.

Grupos
O grupo Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,42% este mês, resultado superior ao apurado em fevereiro, de 0,40%. Dos subgrupos, Serviços foi o que apresentou maior variação, ao passar de 0,73% em fevereiro para 0,34% no terceiro mês do ano. Já Materiais e Equipamentos apresentou variação de 0,44%, ante 0,32% registrada um mês antes.

No que diz respeito ao grupo Mão de Obra, a variação foi de 0,32% este mês, percentual menor, frente à taxa de 0,43% verificada no segundo mês de 2012.

Influências
No geral, as maiores influências positivas para o resultado apurado em março foram as seguintes: vergalhões e arames de aço ao carbono (1,93%), elevador (0,64%), engenheiro (0,46%), servente (0,37%) e ajudante especializado (0,33%).

Por outro lado, as maiores influências negativas foram das placas cerâmicas para revestimento (-0,99%) e gesso (-0,21%).

Capitais
Considerando as sete capitais estudadas pela FGV neste mês, três apresentaram desaceleração, conforme mostra tabela a seguir:

Cidade Fevereiro de 2012 (%) Março de 2012 (%)
Salvador 0,45 0,92
Brasília 0,15 0,31
Belo Horizonte 1,45 0,22
Recife 0,27 0,20
Rio de Janeiro 0,58 0,23
Porto Alegre 0,39 0,99
São Paulo 0,20 0,20

UOL Cursos Online

Todos os cursos