Corte no Minha Casa, Minha Vida não prejudica obras, diz Planejamento

SÃO PAULO - O Ministério do Planejamento informou que os R$ 31,5 bilhões destinados ao programa habitacional Minha Casa, Minha Vida são suficientes para garantir o andamento das obras já contratadas em 2011.

A pasta também assegurou que os recursos vão servir para o início da segunda etapa do programa, que prevê a construção de dois milhões de moradias até 2014.

Ontem, o governo anunciou o corte de R$ 5,1 bilhões nos investimentos do Minha Casa, Minha Vida. O ajuste faz parte de um contingenciamento de R$ 50 bilhões no orçamento geral da União.

O orçamento previsto para o programa neste ano era de R$ 36,7 bilhões. Com o ajuste, ficou em R$ 31,6 bilhões. Ou seja, 86% do previsto inicialmente. O ministério ressaltou ainda que ao valor definido ontem se somam outros R$ 9,5 bilhões de restos a pagar (RAP).

"Comparando-se com 2010, a soma do orçamento e RAP, em 2011, é 4,9% superior", disse a pasta. O ajuste no programa foi alvo de críticas da oposição, que acusou o governo de iludir a população e fazer promessas que não pode cumprir.
(Fernando Taquari | Valor)

UOL Cursos Online

Todos os cursos