Fase 2 do Minha Casa, Minha Vida terá até R$ 140 bilhões, diz Hereda

RIO - A segunda fase do programa Minha Casa, Minha Vida terá recursos entre R$ 120 bilhões e R$ 140 bilhões para financiar residências para famílias com renda até dez salários mínimos por mês.
A revelação foi feita hoje pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, que previu que o banco estatal continuará liderando os desembolsos para o programa, com cerca de 80% do total concedido.

Hereda, que participou do lançamento do programa Progredir - que terá uma estrutura para garantir crédito mais barato para os fornecedores da Petrobras -, afirmou que cerca de R$ 70 bilhões deverão ser direcionados para famílias com rendimento mensal de zero a três salários mínimos. Na primeira fase do programa, a Caixa desembolsou R$ 53 bilhões.

"Vamos mais que dobrar, sem dúvida", disse Hereda, lembrando que o Minha Casa, Minha Vida será lançado no dia 14 e que o governo finaliza ajustes para revisão dos valores dos imóveis e o teto para os financiamentos para cada classe de renda.
"A Caixa, no primeiro programa, contratou mais de 90% dos recursos. O banco é o carro-chefe e vai continuar sendo, mas esperamos contar com a ajuda e parceria de outros agentes financeiros. Mas a Caixa vai continuar sendo responsável por pelo menos 80% dos recursos", acrescentou.

No ano, até a semana passada, a Caixa desembolsou R$ 25 bilhões em financiamentos imobiliários para todas as faixas no país. O resultado está em linha com o ano passado, quando o banco desembolsou o recorde de R$ 77 bilhões para o segmento.
Para o fim do ano, Hereda espera superar em pelo menos 20% o total de 2010, estimulado inclusive pela segunda fase do Minha Casa, Minha Vida. "O segundo semestre é sempre mais forte que o primeiro", destacou Hereda.

(Rafael Rosas | Valor)

UOL Cursos Online

Todos os cursos