Teste se o ciúme que você sente é saudável ou preocupante

RENATA RODE
Colaboração para o UOL

As opiniões se dividem. Alguns acham que uma pitada dele até renova o relacionamento; quando a dose é um pouco maior, o namoro ou casamento pode estar fadado ao fracasso. Muitos homens e mulheres queixam-se de relacionamentos que não dão certo e, quando procuram um terapeuta, descobrem que o motivo era ele mesmo. “Ciúme é a necessidade exagerada de atenção e provação do amor do próximo, fazendo isso de forma controladora, com a necessidade de ser ‘dono ou dona’ do outro. Assim, o parceiro torna-se um objeto, e a pessoa ciumenta, seu vigilante diário, que vasculha todas as suas coisas a fim de encontrar uma prova de infidelidade, para justificar o sentimento avassalador de vazio e medo”, explica Taty Ades, psicanalista e autora do livro “Homens que Amam Demais”, da Editora Isis. Você se encaixa nesse perfil? Faça o teste abaixo.

Segundo a especialista, há um lado positivo desse sentimento. “Ele protege o amor. Nos relacionamentos em que os sentimentos de ciúme são moderados e ocasionais, ele relembra ao casal que um não deve considerar o outro como totalmente conquistado e submisso. Pode encorajar casais a fazer com que se apreciem mutuamente e façam um esforço consciente para garantir que o parceiro se sinta amado. Ciúme potencializa e aumenta as emoções - o amor fica mais forte e o sexo oposto mais apaixonado. Em doses pequenas e manejáveis, o ciúme pode ser um estímulo positivo num relacionamento. Mas quando é intenso ou irracional, a história é bem diferente’, alerta.

 

Para a psicóloga paulista Lia Gabbay, o ciúme é uma manifestação emocional do ser humano e é tão normal e universal quanto a raiva ou o medo. “É inegável que todos nós, em algum momento da vida, e em graus diferentes, experimentamos ciúme. Gostar de alguém ou de alguma coisa implica zelar por sua segurança ou por sua continuidade”, diz. Quando o sentimento vem acompanhado de agressão ou traz muito sofrimento, no entanto, pode ser diagnosticado como um sentimento que ultrapassou a barreira do normal, tornando-se excessivo, irracional, duradouro. “É primordial que os dois fiquem atentos a sinais que podem identificar comportamentos atípicos por parte do outro, e que procurem ajuda especializada se for o caso, para o bem comum do relacionamento”, alerta.

 

Taty Ades aponta cinco dicas de como detectar o ciúme sadio na relação:

  1. Não há necessidade de controlar o outro o tempo todo
  2. O pensamento constante de que está sendo enganado é muito esporádico
  3. A pessoa sente ciúme por algo real e não imaginário
  4. Mesmo enciumado (a), o parceiro percebe quando está indo longe demais
  5. O outro é visto como pessoa amada (por isso o ciúme) e não como objeto e propriedade a ser controlada

UOL Cursos Online

Todos os cursos