Estilistas mineiros fazem desfile coletivo inspirado nos desenhos de "As Garotas do Alceu"

Carolina Vasone
UOL Moda, de Belo Horizonte

  • Fernanda Calfat

    Desfile Garotas do Alceu no Amni Hot Spot

    Desfile Garotas do Alceu no Amni Hot Spot

Hoje foi o dia dos estilistas mineiros entrarem em cena durante o Amni Hot Spot, que acontece em Belo Horizonte.

Várias marcas conhecidos no resto do Brasil - como Patachou, Renato Loureiro e Vide Bula - se juntaram a um total de 27 criadores de Minas Gerais num desfile coletivo em homenagem às famosas ilustrações de Alceu Penna. "As Garotas do Alceu", desenhos de moças de cintura fina, cabelos arrumados, roupinhas impecáveis, publicados semanalmente na revista "O Cruzeiro" nos anos 50, viraram febre nacional na época, com todas as garotas copiando seus vestidos, penteados, trejeitos com os quais eram criadas por Penna.

"Durante anos, todas as moças bonitas deste País - dos fins da tarde nas calçadas da Praia de Icaraí, em Niterói, e das filas do Cine Metro, no Rio, aos footings das pracinhas do interior - se penteavam, se sentavam, gesticulavam, sorriam e se vestiam como as Garotas do Alceu", escreveu Ziraldo certa vez, no texto de abertura de uma exposição em 1983 sobre o ilustrador, morto em 1980.

Ao som de uma orquestra ao vivo, que tocou músicas de época como "Volare" (que abriu o desfile) foram entrando os 42 modelos.

Cintura marcada bem ao estilo 50, laçarotes e saias rodadas apareceram em muitas das criações. O balonê foi usado no vestido da Patachou lavanda com bolinhas brancas, no conjunto com saia de tafetá preta, com listras brancas e aplicações de fuxicos com espelhinhos, de Renato Loureiro, e no vestido em couro marinho de Joaquim Nogueira.

Muito brilho e um certo barroquismo ao estilo mineiro deram o tom da apresentação mais para o final. Brocados e bordados de paetês, pedras e pérolas, além do uso das rendas e babados. No encerramento, um vestido de noiva de Eliana Queiroz, com saia inteira embabadada.

UOL Cursos Online

Todos os cursos