Fashion Rio começa nesta segunda em busca da "verdade tropical"

CAROLINA VASONE
UOL Moda

  • Divulgação

    Prévia da coleção do próximo inverno da estilista Alessa, que fará desfile dentro de um supermercado

    Prévia da coleção do próximo inverno da estilista Alessa, que fará desfile dentro de um supermercado

Samambaias gigantes e moréias de um metro de altura prometem transformar o MAM (Museu de Arte Moderna) carioca num seleto e verde ecossistema, habitat natural da fauna da moda brasileira a partir desta segunda (9), quando começa o Fashion Rio.

Na edição do inverno 2006, a natureza foi escolhida como tema do evento que apresentará 29 desfiles de 31 marcas até o dia 14 de janeiro, com participação de top models - Gisele Bündchen na Colcci e Raica, namorada do craque Ronaldo, são as mais esperadas -, celebridades na platéia e na passarela, marcas estreantes, desfiles de jovens estilistas cariocas e eventos paralelos (da participação da marca Daspu, da ONG de prostitutas do Rio, ao centro de negócios Fashion Business). O investimento, segundo a organização, foi de R$ 5 milhões.

Para dar o ar de floresta tropical ao museu, plantas vivas invadirão as dependências do prédio, que já conta com a vista dos belos jardins de Burle Marx.

Os tecidos naturais, muito usados no verão e o despojamento e conforto tradicionais do vestir carioca são as apostas do Fashion Rio para os tempos de (nem tão) baixas temperaturas brasileiras.

Nem todo mundo seguirá essa tendência, claro, mas algumas marcas como Lucy in the Sky, Maria Bonita Extra e Maria Fernanda Lucena devem apresentar esta proposta em suas coleções.

Outras grifes prometem investir num inverno com menos cara de verão. A Sta. Ephigênia veste de preto sua coleção com peças de alfaitaria e ar retrô. Já as cariocas Cantão e Cavendish capricham no veludo sem medo do calor invernal do Rio de Janeiro.

Novas marcas

Se o Fashion Rio sofreu algumas baixas de peso como Karlla Girotto e Zigfreda, ganhou reforço interessante, como o da carioca Cantão (tradicional grife de moda jovem do Rio), da paulista Acqua Studio (que conta com o estilismo de Marcel Juppy, jovem talento da semana de moda Casa de Criadores, de SP) e da gaúcha Elisa Chanan (ex-integrante também da Casa de Criadores).

Ausentes na edição passada, a paulista e romântica Carmelitas e o estilista carioca Wendell Bráulio voltam a fazer parte do calendário do evento no inverno 2006.

No time dos "Novos Designers" - segmento que apresenta desfiles conjuntos de duplas de estilistas mais jovens -, uniu-se à moda masculina da Chiaro e às femininas de Layana Thomaz e Luiza Bonadim a grife Reserva.

Rio Moda Hype

Para quem pensa que o frescor carioca ficou no quarteto acima, engana-se. Mais uma dúzia de mais jovens que os já jovens talentos dos "Novo Designers" promete revelar o futuro da moda carioca dentro do Rio Moda Hype.

Em sua quarta edição, o projeto seleciona novos estilistas cariocas e realiza desfiles coletivos em que cada um apresenta uma minicoleção. Divididos entre os dias 13 e 14 de janeiro desfilarão, em sextetos, Athia Gomes, Charlotte, Felipe Eiras, Flesh Beck Crew, Koolture, Kylza Ribas, Marciana, Madre Santa, Soul Seventy, Cordel Regional, Adpac e Laço de Fita. As três últimas marcas são novas no projeto. A grife masculina Carpe Diem, da edição passada, não desfilará desta vez.

Saidinhos

Além das três tendas montadas no MAM, outros três cenários servirão de passarela para um trio de marcas que escolheu locações fora dos domínios do museu para apresentar suas coleções de inverno.

Alessa, que em junho passado exibiu sua coleção em situações de dia-a-dia no quintal, na sala, no quintal, no quarto, no banheiro e até no muro de sua própria casa este ano também promete causar frisson com um desfile programado para acontecer dentro de um supermercado. Detalhe: que estará funcionando normalmente.

A Tessuti é outra que levará seus convidados para passear. Na edição passada a viagem foi longa, até a Ilha Fiscal, onde, depois de um brunch, a platéia conferiu a coleção em silêncio, ao som apenas do barulho do vento e do mar.

Entre os "saidinhos", o estilista paulista Walter Rodrigues é o estreante na modalidade. Sua apresentação terá endereço na Casa França Brasil, no centro do Rio.

Celebridades

Pela grande concentração de artistas e atores globais que moram no Rio, a semana de moda carioca sempre contou com um grande número de celebridades tanto nas platéias como nas passarelas de seus desfiles.

Há, claro, participações confirmadas e apresentações que prometem um pequeno exército de famosos - como a da Sandpiper, que colocará, entre outros, o ator Marcos Palmeira para desfilar, sobe o tema da paixão por carrões e motocicletas. Mas, pelo que se viu na edição passada, a tendência do Fashion Rio parece ser a de mostrar mais roupa e fazer negócio do que chamar a atenção por nomes estrelados e sem muita relação com moda.


Fashion Business

Muito além dos estandes de patrocinadores - dentro de um dos quais a Daspu (saiba mais sobre o assunto aqui) apresentará alguns de seus modelitos - o Fashin Business mostra o poder de compra e venda impulsionado pelo Fashion Rio. A feira que acontece paralelamente à semana de moda, a poucos metros dos desfiles, vendeu, na edição passada, R$253 milhões em roupas e acessórios.

Junto com marcas que desfilam no Fashion Rio, o Fashion Business computa quase 80 grifes de vários Estados do país. Além das coleções de todas elas, a bolsa de negócios também contará com uma palestra do respeitado grupo Edelkoort, que presta consultoria em design e tendência para algumas das principais marcas de moda do mundo.

UOL Cursos Online

Todos os cursos