Brancos, lavanda, carbono e preto darão o tom do verão

Colaboração para o UOL Moda

  • Reuters

    Modelo da Chloè exemplifica tendências apontadas em seminário

    Modelo da Chloè exemplifica tendências apontadas em seminário

Analisar a moda e suas tendências para o verão 2007, esses são os principais objetivos do 27º SENAC Moda Informação, seminário que acontece nesta quinta, 16, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Tendências em tecidos, cores e estilos tomaram conta das palestras. Luciana Parizi, consultora de moda, destacou o declínio da customização das roupas e a crescente busca pela simplificação da vida, um novo lifestyle que emerge e traz a tona uma feminilidade segura e adulta marcada pela silhueta dos anos 50 - com cintura no lugar e saias até o joelho.

As tendências vão desde o romantismo da monarquia francesa aliado ao look fazendeira, chegando aos anos 80 com seus ícones de poder e luxo. Nesse meio caminham com desenvoltura os viajantes da rota do sol, que buscam em culturas tão diversas - como a africana e a oriental - inspirações para seu estilo de vida. Outras duas importantes vertentes dessa moda verão 2007 são as chamadas coração jovem, onde a agilidade dos adolescentes mescla os personagens "nerds" do seriado "The OC" com pitadas de rockstar. Já a eleg ância moderna traz a tona uma mulher extremamente feminina e muito segura de sua posição na sociedade.

Para acompanhar essas tendências tão diversas da moda, os tecidos e as padronagens assumem um lugar de destaque. O mais importante material do verão 2007 será o algodão, trabalhado em suas vari antes, repleto de bordados, rendas e estampas mi udinhas e românticas. O linho volta , depois de muitos anos abandonado . Nessa estação , virá trabalhado com acab amentos resinados ou metalizados, que conferem nova cara ao tecido. Mas, o grande destaque da cadeia têxtil é a volta da malharia, numa referência direta aos anos 80, época auge do material - suedines, cotton lycra e moletinhos invadem peças para o dia e, porque não, para a noite. Ainda na vertente dos tão temidos anos 80, segundo Parizi, volta o vinil, que pontua tops e vestidos com cara de Madonna.

No quesito cores, a grande pedida será o branco, off-white (um branco meio com cara de velho) e preto - ressaltando o caráter minimalista em que a moda se insere nas próximas estações. Tons pastéis e todas as gamas do bege pontuarão todas as coleções . Cores como lavanda, azul carbono, verde jade e esmeralda, amarelo e cinza também serão vistas com freqüência.

O Consumo Emocional foi o tema do consultor Edson DŽAguano, também na manhã desta quinta. Em cerca de quarenta minutos, o consultor defendeu aos 1500 presentes a importância de se vender uma emoção e não apenas um produto. Segundo DŽAguano, ao comprar um produto, o consumidor de moda paga apenas 20% pela roupa em si e os 80% restantes são pagos pela "emoção " que a roupa proporciona. Em contrapartida, no mercado do vestuário sem apelo de moda, a divisão seria de 50% para cada componente do preço. Ou seja: vender roupa de moda pode ser muito mais lucrativo. Vender moda, e não apenas roupas, seria o equivalente à venda de estilo de vida . Segundo ele, a marca que esimula melhor as emoções dos consumidores tem mais capacidade de fidelização.

Para DŽAguano, uma marca só conquista seu espaço no mercado quando tem produtos inovadores e propostas revolucionárias e assim cativa consumidores ansiosos por exclusividade e por "viver uma experiência emocional diferenciada". (Geovanna Morcelli)

UOL Cursos Online

Todos os cursos