Gucci traz otimismo dos anos 60, roupas curtas e sapatos baixos

da Ansa, em Milão

  • AFP

    Desfile da Gucci na última<br>quarta-feira (27)

    Desfile da Gucci na última
    quarta-feira (27)

MILÃO (ANSA) - Há principalmente muito otimismo na coleção Gucci, apresentada na última quarta (27), decididamente inspirada - e não por acaso - nos anos 60, os fabulosos "Sixties": Frida Giannini, estilista da casa florentina, tem a seu favor também a força dos números, que é a principal alavanca do otimismo mesmo em uma empresa da moda. Em 2006, quando nas lojas Gucci começaram a chegar todas as coleções assinadas por ela, as vendas do prêt-à-porter feminino cresceram 23,8% no primeiro trimestre e 35,7% no segundo.

Com este espírito a estilista se preparou para o novo desafio: trabalhou nas formas e nas cores e até no desfile masculino de junho passado (já prevendo a próxima campanha publicitária, na qual poderá apresentar um casal coerente, homem-mulher). A conclusão foi a sua opção pelos trajes curtos e trapézio, típicos segundo ela dos anos em que as mulheres elegantes saíam de uma tradição "couture" e entravam na liberdade do vestir sem com isso perder elegância.

O resultado é uma linha agradável de roupas curtas muito gráficas e alegres. A primeira fornada em preto, contrasta com faixas fúcsia e viola, depois uma série de estampas caleidoscópicas, como se fossem uma série de cerâmicas multicoloridas. Vestidos sempre mini e com cintura predominantemente alta; ou conjuntos com a cintura bem marcada por faixas listradas; casacos enxutos mas com mangas geométricas para dar o equilíbrio. Calças afuniladas e um pouco curtas, botinhas ao estilo Beatles, em verniz com salto espelho, ou em couro prateado.

A parte mais brilhante é a do tecido jacquard, branco ou preto, com um efeito adamascado, para vestidos, sobretudos e calças apertadas. Para a noite, o tecido ganha prata, pérolas e bordados. Surge o longo, em leves motivos paisley estampados sobre o preto das saias usadas com top com fortes listras gráficas, mas também o preto total decorado com placas metálicas que simulam espelhos. Lindos os sapatos baixos de salto quadrado, às vezes totalmente prateados; e a nova bolsa com desenho de volante de carro da época.

A festa depois do desfile, pelos 85 anos da marca Gucci e pelo lançamento do livro que os comemora ("Gucci by Gucci" escrito pela jornalista de moda Sarah Mower), aconteceu no espaço do Palácio Serbelloni. Lá foi criado um grande pavilhão verde, onde se apresentou John Legend, cantor-compositor-pianista lançado por Lauryn Hill (conhecido nos Estados Unidos como "The Legend"). (ANSA)

UOL Cursos Online

Todos os cursos