"Amo o Brasil como meu segundo país", diz Valentino, depois de desfile com verão curto e "ensolarado"

CAROLINA VASONE
Enviada especial a Paris

  • EFE

    Desfile de Valentino, hoje (04), em Paris

    Desfile de Valentino, hoje (04), em Paris

Conhecido por seus vestidos longos e glamourosos, prontos para sair do armário direto para uma cerimônia do Oscar, Valentino tomou gosto pelas pernas de fora, abusou das silhuetas mais soltas, com tecidos fluidos e leves como o tule e a organza, e criou o que chamou de "luxo sem esforço" de uma "nova mulher Valentino" para o Verão 2007.

O ponto de partida criativo, segundo o estilista, foi a cor amarela, que acabou por dar à coleção um "toque ensolarado"; como ele mesmo definiu em entrevista depois do desfile. Com exceção do tradicional e forte "vermelho Valentino", os tons são claros, em pastéis como o rosa, o azul celeste e as variações de beges, em muitos vestidos, a maioria curta, com várias camadas de delicados babados e bordados. Os drapeados aparecem bastante nos vestidos de noite do estilista, feitos em tecidos como a musseline, o georgette e a seda.

Sobre o comprimento da estação - bem acima do joelho -, o rei da elegância dá a dica de como não ficar vulgar dentro de um mini. "Se for uma mulher jovem, pode usar uma plataforma. Já no caso de uma mais velha, é só trocar o sapato por um modelo de salto mais baixo (nem sandália rasteira, nem a de saltão)", afirmou, em rápida conversa com o UOL Estilo.

Com tanta sensualidade, cores alegres e um ar casual, não houve como não perguntar sobre o Brasil. "Não conheço a moda brasileira mas amo o Brasil, como meu segundo país" disse, e completou, simpático: "adoro os brasileiros; eles são simpáticos, alegres e têm a melhor pele do mundo", disse.

UOL Cursos Online

Todos os cursos