Bate-papo UOL: Sem sapatos de salto alto, Walério Araújo fala de sua nova coleção

Da Redação

Um dos destaques da Casa de Criadores - evento revelador de jovens talentos da moda -, o estilista Walério Araújo participou nesta quarta-feira (2) de um Bate-papo no UOL para falar de seu desfile que será apresentado na edição que comemora os 10 anos da semana de moda.

Fatos curiosos, como o estilista ter trabalhado por dois anos na rua 25 de março e as celebridades extravagantes que são vestidas pelo criador, marcaram o bate-papo. Da experiência no comércio popular, Araújo revela que aprendeu a lidar melhor com as clientes e a convencê-las do seu produto; além de ter um maior domínio da matéria-prima, sabendo exatamente onde procurar o que procura.

Momentos marcantes da carreira, como o desfile para o Inverno 2005, realizado dentro da capela do hospital Umberto Primo, em homenagem a uma travesti e a coleção inteira vermelha desfilada no Vale do Anhangabaú foram lembrados pelo estilista.



Leia a seguir a íntegra do bate-papo com Walério Araújo que contou com a participação de 144 internautas.

(05:13:51) Walério Araújo: Boa tarde a todos

(05:12:03) tatiane: Oi Walério, tudo bem? Seus desfiles são sempre um ponto alto da Casa de Criadores. O que você está preparando para essa edição comemorativa?
(05:15:19) Walério Araújo: Tatiane, acho que é em cima desta própria dificuldade de concluir uma idéia e esta história de usar o jeitinho brasileiro e superar o truque. Está super difícil no geral não só de concluir uma coleção. A coleção que eu vou apresentar chama-se "Pérolas aos Porcos", então usa muitas pérolas, é bem sofisticado, bem coquetel. Não muito fechados, com uma pitada de decote. Bem chique. Os tecidos são da Santa Constança, tem veludo, couro fake que na verdade um linho com uma resina. Têm tecidos que não combinaram com a coleção passada e acabamos usando, resolvendo uma necessidade.

(05:18:39) Walério Araújo: Sobre os meus desfiles e estilo, meu universo é à noite. Depois tem aquela coisa de vir de lojas. Fiz cinco anos no mercado Mix. E foi bem visto no mercado alternativo. Tenho uma clientela totalmente eclética. Vai de Elke, Derci Gonçalves a Sandy. Faço maiô, biquínis. Quanto às drags queens, acho que consigo satisfazer as vontades delas.

(05:20:30) Walério Araújo: Sobre as pessoas que visto, acho que entender as necessidades delas, o programa, o público que queiram atingir. Uma cor que comprometa o cenário, mas acho que sempre me superei, me surpreendi. Isso é bom porque sempre me subestimavam. Eu não me via fazendo roupa para a Elke. A única coisa que ela me falou foi "não gosto de marrom" e acabei fazendo marrom pra ela. E sempre deu certo.

(05:17:07) mariana: Walério, suas roupas transitam entre o sofisticado e o ousado, qual o segredo para não errar a mão?
(05:22:24) Walério Araújo: Mariana, pergunta difícil. Acho que quando elas sentem que está ficando uma coisa apelativa. Porque tanto o vestido longo de cauda também pode se tornar apelativo, não é só o curto. Isso foi uma coisa que eu sempre gostei e acabou virando marca. Gosto de usar salto alto para sair para dançar. Eu me sinto mais poderoso.

(05:23:49) Walério Araújo: O meu ideal de mulher, acho que ninguém quer se passar despercebido então não precisa apelar. Eu vendo roupas em minha loja com salto alto, mas chinelo também fica bonito. Eu adoro um decote nas costas e uma imagem sofisticada que passa um ar de educada. Mais poderosa que sabe comandar. As que admiro são a Elke, minha mamãe e Angelina Jolie.

(05:24:12) Walério Araújo: Sobre vestir a Ivete Sangalo, trabalhei mais com a parte de bordados e acessórios, foi muito legal.

Eduardo Piagentini/UOL

Divulgação

Walério Araújo e alguns de seus adereços de cabeça no Bate-papo

(05:26:49) Walério Araújo: Sobre acessórios, eu sempre fiz para a Elke. Minhas cabeças não param na loja, estão sempre fotografados para books, para revistas. Neste particularmente vai ter um chapéu, mas não é uma coisa mais elaborada. Sempre fiz na 25 de março, para a Noivos e Noivas. A 25 tem uma variedade de tecidos imensa. Hoje as empresas e fábricas deram aberturas para a gente estar desenvolvendo, já temos acesso às tecelagens.

(05:27:41) Walério Araújo: Sobre pedidos inusitados, foi uma roupa de pai de santo que mexia com a religião deles, mas não fiquei impressionado, procurei fazer uma roupa bem elaborada e fui muito bem remunerado. Na época era uma coisa muito nova, mas foi ótimo e acabei fazendo várias para ele e estou aberto a qualquer coisa.
(05:28:15) Walério Araújo: Sobre os outros acessórios, a melancia fiz para mim na São Paulo Fashion Week e queria aparecer então fiz uma melancia na cabeça.

(05:22:09) mariana: qual desfile seu, na Casa de Criadores, que você considera o mais emblemático?
(05:30:01) Walério Araújo: O desfile que considero mais emblemático foi aquele vermelho, em que quase 90% das roupas eram vermelhas, só com um look roxo. Este é o que mais gosto. Foi no Vale do Anhangabaú, e eu chamei as modelos da década de 90, como a Cássia Ávila.

(05:23:25) Duek: Walério, adoro seu trabalho lindo. Como é pra você vestir celebridades? Quem mais tem a ver com seu estilo?
(05:32:01) Walério Araújo: Duek, acho que todos têm a ver com o meu estilo. Eu consigo concluir o que elas querem porque eu também modifico. Eu consigo realizar o desejo delas e elas se sentirem com a minha roupa. Cada uma destas celebridades que apareceram foi um desafio, se me procuraram é porque eu poderia fazer e todos deram certo. Acho que muito da conversa, se gosta de manga longa aumentar um dedo ou dois dedos. Vai muito da forma, deixar a cor que ela tem costume. Não tentar inovar tudo e querer radicalizar.

(05:23:35) rvmp83: Olá Walério gostaria de saber se usar roupa masculina com sapatos femininos é uma tendência sua???
(05:33:58) Walério Araújo: rvmp83, tendência eu não sei, mas eu uso. O Alexandre Herchcovitch já usou muito. Uso 15 sem plataforma, são os italianos porque não é o muito comercial. A mulher não compra porque tem que ter uma postura e um pique. É o chamado Luis XV. Ele obriga você a dançar e se movimentar, não fica parado.

(05:29:39) Alex.: Como você escolhe as trilhas para o seu desfile?
(05:34:43) Walério Araújo: Alex, eu converso com o stylist e com o DJ e dentro do universo, da minha inspiração que eu gosto que tenha a ver com o meu universo e tem a ver o que eu uso.
(05:37:02) Walério Araújo: Sobre o desfile, tem gente que vai para ver o desfile e tem gente que vai para ver a minha entrada. Da Casa de Criadores, este é o décimo ou décimo primeiro. Muitas agulhadas. Eu convidei oito stylist e foi adiando. Inclusive a coleção está super atrasada. Então vai deixando mais pelados. Daqui a dois meses vai ter a Fashion Week. Já fiz com vários stylists com Davi Pollack, Dudu Bertholini...

(05:39:00) Walério Araújo: Sobre os estilistas, isso é muito relativo porque a cada coleção mesmo que a gente adora a gente acha que é a que acertou mais. Gosto muito do Galliano, do McQueen que é um arquiteto da moda; sempre digo que ele trabalha com roupa de preso, porque as costureiras ficam dias e mais dias fazendo aqueles trabalhos. Gosto da Vivienne Westwood, do Walter Rodrigues também, além de ser meu amigo. O Reinaldo Lourenço é muito bom. Eu gosto de todo mundo, quem tem que falar de quem gosta são vocês.

(05:40:47) Walério Araújo: Sobre os bordados, sempre tem algum trabalho que deu trabalho nos desfile. Mas a produção do desfile "Assim na Terra como no Céu" que tive que pedir ajuda. Duas semanas no vestido, uma no top. Com pérolas também, teve muitos babados bordados. São metros de pérolas bordados. Quando estou bordando penso sempre no retorno positivo. Tem dia que viro a noite. Mas penso que vai dar um trabalho legal então me apego a isso. As coisas muito pequenas são as que dão mais trabalho.

(05:34:13) Édhye: Walério qual foi o seu trabalho mais difícil e mais gratificante ao mesmo tempo q você teve..???
(05:41:41) Walério Araújo: Édhye, o último desfiles das flores foi legal, rendeu muitas coisas. Fotos, vendas, foi muito legal. Que era cor de pele com debrum preto.

(05:38:02) carlos-nit-21a: oi,tudo bem ,uma pergunta você acha que ser estilista da muito trabalho?
(05:44:04) Walério Araújo: carlos-nit-21a, qualquer profissão dá trabalho mesmo quando se busca a perfeição, se acomoda, busca o que há de novo. Quer se superar. Tem muitos itens que tem que se buscar. Mas estilista é complicado. Tem minas que fazem faculdade de moda, que eu chamo de patricinha, que começam e depois desistem. Não sei em que profissão pode se acomodar.

(05:45:32) Walério Araújo: Sobre o meu primeiro emprego, foram três meses na rua das Noivas, depois dois anos na 25 de Março. Daí fiquei cinco anos no Mundo Mix. Daí fiquei cinco edições no Hot Spot.
(05:46:59) Walério Araújo: Conselho para quem está começando, é praticar, exercitar para ver qual tipo de roupa gosta mais. Se gostar de fazer saias, camisetas, mas é se puder, faça três peças. É um bom passo estar dividindo uma arara com pessoas que estão no mercado há mais tempo. Sucessivamente de acordo com a saída, a dona da multi-marcas vai querer comprar. E vai vendo o que você faz melhor. E vai rendendo. E se descobrindo no exercício que mais gosta.

(05:39:24) Édhye: Ousadia é o que não falta em seus trabalhos.. criatividade também.. e com isso coragem??? ou seria força de vontade mesmo?
(05:47:31) Walério Araújo: Édhye, são os dois. Uma coisa puxa a outra.

(05:49:55) Walério Araújo: Sobre minhas inspirações, eu busco no cotidiano. Fiz uma coleção inspirada nos motoboys, motocross. Também na 25 de Março, as madames passavam pelos camelô, daí fiz um look inspirado nos marmitex, porque as secretárias também levam o marmitex. O desfile foi numa capela que eu transformei em boate, tinha uma drag queen no altar e os acessórios tinham os elementos que se exaltavam. No geral foi válido.

(05:43:00) pietra: Walério, e a estamparia? você gosta de trabalhar com ela também ou prefere trabalhar com os bordados sobre tecidos lisos?
(05:50:31) Walério Araújo: pietra, para passarela é mais vestidos lisos, mas na loja sempre tem as estampas.

(05:46:23) Breno: Walério você pretende um estréia no SPFW?
(05:53:03) Walério Araújo: Breno, muita gente me pergunta, acha que eu tenho que estar lá. Mas eu sou oportunista. Adora a Casa dos Criadores. Na SPFW tudo é mais caro, é maior. Tem que estar muito preparado para a venda porque é o mundo que vem. Essa é a dificuldade maior dos estilistas, que é produzir. Mas acho que tenho que ser oportunista, o que for melhor eu me jogo.

(05:46:20) maravilha: Walério, você acha que sua experiência na 25 de Março foi importante para seu trabalho atual? qual o reflexo que você mais percebe?
(05:51:39) Walério Araújo: maravilha, foi a prática de trabalhar com a cliente na hora de convencer, de passar o que vai ficar melhor. Depois conhecimento de matéria prima. Estilistas que querem saber de um produto, me perguntam onde encontrar.

(05:48:07) cabra da peste: quais dificuldades enfrentadas por um principiante?
(05:54:23) Walério Araújo: Cabra da peste, no geral tem que acreditar no que faz. Se acha que as pessoas vão exigir mais, vale travar para procurar aperfeiçoar. Se tem certeza que pode fazer melhor então faça, pois isso vai ser positivo. Sobre regionalismo em meu trabalho, não tem. Já pensei em fazer, mas a dificuldade de matéria prima, procurar estudar, descobrir.

(05:52:49) morena: eu ou modelo e sempre quando desfilo me passam sempre roupas bastante diferentes,q tem certas pessoas até chegam a dizer q são bastante cafona...isso já aconteceu c/ você??
(05:55:42) Walério Araújo: morena, a relação das pessoas com as minhas roupas, no geral a maioria é modelo mesmo e procuramos meninas que dê conta de um salto, uma roupa transparente. Depois a produção, se tiver muito ombro, não colocar uma roupa mais estruturada.

(05:54:50) + é - , e - é +: como você definiria um bom estilista ?
(05:57:04) Walério Araújo: + é - , e - é +, aquele que consegue passar para o modelista, para a costureira e ver pronto. Ser sensato na hora de criar e ver como pode ser feito e criar também. Tem que ser sensato e ver que pode ser feito e se a pessoa quer. Tem que ter conhecimento se pode ser modelado, costurado. Concordo que o estilista tem que ter uma noção de como costurar. Já peguei muitas costureiras que fizeram trabalhos para estilistas, mas que não têm conhecimento nas novas matérias-primas. Tem que ter segurança do que ela está falando é bem feito. Tem que saber costurar, não gosto de costurar a máquina. Mas eu adoro os bordados. Quando começo quero ver concluído, mas é bem trabalhoso. Tenho certeza de como a roupa tem que ter sido concluída.

(06:00:21) Geovanna/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Walério Araújo e de todos os internautas. Até o próximo!
Mais
Leia mais sobre o estilista
Line-up da Casa de Criadores
Retrospectiva: 10 anos da Casa de Criadores em fotos
Retrospectiva: Entrevista com André Hidalgo
Fotos do desfile de verão 2007 de Walério Araújo

UOL Cursos Online

Todos os cursos