Campanha contra anorexia é criticada na Itália

Da Ansa, em Roma

As fotos de uma jovem magérrima, exibida em jornais e outdoors na Itália para advertir sobre os riscos da anorexia, provocaram debate entre políticos e profissionais da publicidade. Para os críticos, a campanha da grife de moda Nolita, produzida por Oliviero Toscani com a modelo francesa Isabelle Caro, é "violenta".

"A campanha de Toscani com a menina anoréxica é uma verdadeira violência visual e a mercantilização de um problema social", declarou Alberto Contri, presidente da associação Publicidade Progresso.

"Instrumentalizar um problema sério como a anorexia para vender roupas? Não sei como isso pode ser aceito ou, pior, como pode ser apoiado", acrescenta Contri a respeito da campanha que recebeu o aval do Ministério da Saúde italiano.

Mario Boselli, presidente da Câmara de Moda Italiana, também critica a escolha de Toscani. "Não me entusiasma o uso da desgraça alheia para fins publicitários", afirmou Boselli, destacando que as imagens não servem apenas para veicular uma mensagem contra a anorexia, mas também para promover uma marca.

Por sua vez, a ministra Emma Bonino, responsável por assuntos de comércio exterior, apoiou a iniciativa. "Parabéns, Toscani, sua campanha é muito eficaz", afirmou a ministra. (ANSA)

UOL Cursos Online

Todos os cursos