Parisienses e turistas adotam novo serviço de bicicletas da cidade sem perder o estilo

CAROLINA VASONE
Editora de UOL Estilo

  • Antonio Barros/UOL

    Engravatado usa serviço de Vélib' em Paris, sem perder a elegância

    Engravatado usa serviço de Vélib' em Paris, sem perder a elegância

Atualizada em 18/10, às 15h

As ruas de Paris vêm ganhando um número cada vez maior de simpáticas bicicletas em tom cinza claro desde o dia 15 de julho deste ano. Foi quando a prefeitura da cidade inaugurou um serviço de transporte público diferente, ecológico e, em dias de greve de transportes públicos, como a desta quinta (18), salvador. O protesto paralisou quase todos os meios de transportes da França. Menos o novo serviço sobre duas rodas de Paris: o das chamadas "Vélib'".

Espalhadas em mil pontos da capital francesa, as cerca de 14 mil bicicletas (a prefeitura promete mais de 20 mil em quase 1500 "estacionamentos" até o final de 2007) já conquistaram muitos parisienses e turistas que, ao contrário dos ciclistas convencionais, pedalam pela cidade com suas roupas de passeio ou de trabalho, sem grandes adaptações para o "exercício". Os estilos sob duas rodas, então, são os mais variados: sapatos sociais, calças de alfaiataria, gravatas, trench coat e até scarpin (com um saltinho baixo, é verdade) compõem os looks dos usuários das Vélib' (veja o álbum de fotos).

Para quem se animou com a novidade parisiense, funciona assim: a pessoa pode contratar o serviço por um dia, uma semana, ou ainda por um ano, no próprio "estacionamento" das Vélib'. Por um dia (o mais fácil para turistas), paga-se um euro para usar qualquer bicicleta por períodos intercalados de meia hora. É que a prefeitura de Paris calculou que a distância mais longa da cidade é percorrida, de bicicleta, em 25 minutos. Depois de 30 minutos, o ciclista devolve sua bicicleta no ponto das Vélib' mais próximo, e pode pegar, mais tarde, outra bicicleta (por meio de um código válido por um dia) por mais meia hora. E assim por diante.

O pagamento pode ser feito com cartão de crédito, com crédito mínimo disponível de 150 euros. No caso dos franceses, o cartão do banco ou de metrô e ônibus também funcionam (para conseguir o ticket anual, é preciso preencher um formulário da prefeitura para receber um cartão parecido com o do metrô). Se a pessoa quiser usar a bicicleta por mais de meia hora ininterruptamente, paga mais dois euros pela primeira meia hora adicional e mais quatro euros pela segunda meia hora adicional. As outras opções são contratar o serviço por uma semana, por cinco euros (no mesmo esquema de períodos de uso de 30 minutos e cobrança de períodos mais longos ininterruptos), ou por um ano, por 29 euros.

Embora não haja "dresscode" para andar nas bicicletas pintadas elegantemente de cinza (e com design exclusivo) por Paris, o bom senso sempre é recomendado, não tanto em prol da moda, mas do conforto: calças muito justas, saias muito curtas e saltos muito altos podem provocar situações - e tombos - embaraçosos. Além de estragar o modelito.

UOL Cursos Online

Todos os cursos