Dentistas ganham batalha judicial contra a Lacoste

Da Ansa, em Londres

  • Divulgação

    Lacoste alegou que o uso do jacaré como logo confundiria clínica odontológica com uma loja da grife

    Lacoste alegou que o uso do jacaré como logo confundiria clínica odontológica com uma loja da grife

Dois dentistas da cidade inglesa de Cheltenham ganharam uma batalha judicial contra a grife Lacoste pelos direitos de propriedade intelectual para poder utilizar a famosa logomarca do crocodilo.

Um juiz especializado em direitos de logomarcas negou as queixas da companhia francesa para que a clínica ortodôntica deixasse de utilizar o animal como símbolo.

A batalha judicial teve início em setembro de 2004, quando os dentistas Simon Moore e Tim Rumney tentaram registrar o crocodilo para seu centro ortodôntico em Cheltenham.

Durante as audiências no Departamento de Propriedade Intelectual (IPO) em Newport, sul da Inglaterra, os dentistas se apresentaram pessoalmente e disseram que seria impossível seus clientes confundirem a pequena clínica odontológica com uma loja de moda.

"Os serviços dentais são tão diferentes da indústria da moda que o consumidor médio saberá identificar a diferença e não cometerá erros", explicou então o departamento.

No entanto, a Lacoste decidiu apelar da decisão judicial. O caso passou para o Departamento General de Propriedade Intelectual em Londres, mas o juiz Ruth Annand terminou negando o pedido de apelação.

Logo após escutar a sentença, Moore disse que a Lacoste "buscou usar uma clava para quebrar uma noz". "Nós elegemos um crocodilo como nosso logo simplesmente pela associação do animal com os dentes grandes, nada a ver com a Lacoste", declarou o dentista.

Após perder a batalha judicial, a grife deverá pagar cerca de US$3 mil aos dentistas pelos custos legais do processo. (ANSA)

UOL Cursos Online

Todos os cursos