Peta protesta contra Giorgio Armani

Da Ansa, em Roma

  • Reuters

    Manifestantes do Peta protestam em frente a loja da Armani em Milão

    Manifestantes do Peta protestam em frente a loja da Armani em Milão

Dan Mathews, vice-presidente da associação de defesa dos animais Peta, que há alguns anos lançou a polêmica campanha contra o uso de peles na qual modelos e celebridades eram fotografadas nuas, agora tem como alvo o estilista Giorgio Armani.

Para o ativista, Armani "não cumpriu sua palavra": "há um ano disse que não usaria mais peles, mas na nova coleção de outono apresentou casacos e saias decorados com pele e até mesmo casacos de neve para crianças com o interior forrado de pele verdadeira", disse Mathews.

Para destacar publicamente a mudança de atitude do estilista, ativistas da Peta irão exibir nesta terça-feira, diante de sua loja Emporio Armani em Milão, cartazes gigantes que mostram Armani vestido de Pinóquio.

Também será apresentado um vídeo, comentado pela atriz Gillian Anderson, sobre a matança de coelhos na França e na China, que, segundo a Peta, é fornecedora do estilista.

"Para satisfazer um capricho de luxo, ele está condenando um número enorme de coelhos a uma vida de sofrimento e a uma morte violenta na China, nação onde não existem normas de proteção dos animais", disse Mathews, que em duas décadas de ativismo conseguiu convencer estilistas como Calvin Klein, Ralph Lauren e Tommy Hilfiger a abandonar o uso de peles.

AFP

AFP

Modelo desfila look da coleção outono-inverno 2008/2009 da grife Giorgio Armani em Milão


A associação também começou a procurar as celebridades que vestem Armani e freqüentam seus desfiles, como Tom Cruise e sua mulher, Katie Holmes, Cate Blanchett e Glenn Close, a usar sua influência para que o estilista cumpra a promessa de não usar peles.

Mas não é só Armani que parece disposto a manter as peles no universo da moda. A edição de outubro da revista "Vogue" norte-americana trará um ensaio fotográfico com modelos cobertas por suntuosos casacos de pele.

"É uma velha história: a moda, como todas as indústrias, procura criar necessidades. Anna Wintour (editora chefe da "Vogue" nos Estados Unidos, ndr) diz aos fotógrafos, aos estilistas e às modelos o que fazer para aparecer nas revistas", disse Mathews.

A associação, que tem dois milhões de inscritos em todo o mundo, conta com vários simpatizantes famosos, como Paul McCartney, Pamela Anderson e Michael Stipe, da banda REM. "Pedimos a tanta gente que mudem aquilo que comem e aquilo que vestem e, se nossa causa é apoiada por pessoas famosas, a mensagem chega antes. Nós investimos muito na sensibilização das novas gerações", disse Mathews, que para promover a dieta vegetariana chegou a se apresentar vestido de cenoura na porta de escolas norte-americanas.

"A política está por trás desses temas: nos Estados Unidos trabalhei com o gabinete de quatro presidentes diferentes e nada mudou. Talvez dentro de 20 anos trabalharemos mais com os governos", disse o ativista.

UOL Cursos Online

Todos os cursos