Busca por rigor formal e pesquisa são destaques em livro sobre Reinaldo Lourenço

CAROLINA VASONE
Editora de UOL Estilo

  • Arquivo pessoal/Divulgação

    O estilista Reinaldo Lourenço

    O estilista Reinaldo Lourenço

A obsessão pela construção das roupas e pela pesquisa de referências, cores, estampas, seja num brechó em Paris ou no lixo do chão de São Paulo ("Já aconteceu de achar o rosa que procurava em um pedaço de plástico jogado na calçada", conta o filho Pedro) é destaque no livro que conta a trajetória de Reinaldo Lourenço e que faz parte do segundo volume da coleção Moda Brasileira, da CosacNaify.

Leia as resenhas dos livros do segundo volume, com curiosidades sobre:
André Lima
Clô Orozco
Lenny Niemeyer
Marcelo Sommer


No texto de apresentação, a diretora da Vogue Brasil, Patrícia Carta, amiga pessoal do estilista, pincela pontos curiosos e marcantes da carreira de Lourenço, como as contribuições como editor convidado da própria Vogue e o trabalho como produtor de moda da equipe de Costanza Pascolato, no final dos anos 80, quando a consultora e empresária era editora de moda da revista Claudia Moda. Também salienta a base de sua modelagem que considera sempre clássica, e que serve como ponto de partida para as desconstruções e transgressões de detalhes e mesmo de formas acontecerem, com uso de inspirações recorrentes em seu trabalho, como o rock, o punk e a roupa aristocrática do período eduardiano.

Na segunda parte do livro, Fatima Ali detalha a trajetória de Reinaldo Lourenço, desde a época em que criava as próprias roupas, ainda adolescente, em Presidente Prudente (SP) - talvez a precocidade na profissão do filho, já estilista aos 17 anos, seja "genética" -, passando pela mudança para São Paulo para trabalhar com Gloria Coelho, com quem depois se casaria e a criação de uma marca de camisas e uma linha masculina antes de se decidir de vez pela moda feminina.

Cinco curiosidades sobre Reinaldo Lourenço:

- O estilista nasceu em Presidente Prudente, interior de São Paulo. Em 1980, aos 18 anos, mudou-se para São Paulo para trabalhar como assistente de Gloria Coelho;

- Aos dez anos, vendia lenços de cambraia que ele mesmo pintava à mão;

- No final dos anos 80, foi produtor de moda da equipe de Costanza Pascolato, na revista Claudia Moda;

- O primeiro estilista pelo qual se apaixonou pelo trabalho foi Yves Saint Laurent. Seu primeiro livro de moda, presente de um amigo, foi sobre Christian Dior;

- Antes de lançar a grife feminina que leva seu nome, Reinaldo Lourenço teve uma marca de camisas, a Camisaria São Paulo, e uma linha masculina de roupas.

UOL Cursos Online

Todos os cursos