Milão quer homem de shorts minúsculos e calças curtas em muitos tons de azul para o Verão 2011

JULIANA LOPES

Colaboração para o UOL, de Milão

Um homem atraente, musculoso ou não, que mostra seu corpo com segurança. O exibicionismo humorado em Milão foi um dos pontos mais fortes da temporada de moda na cidade italiana, que terminou na última terça (23). Um festival de shorts minúsculos e bermudas encurtadas (dobradas), decotes cavadíssimos, blazer sem blusa por baixo e barriga de fora foi desfilado para o próximo Verão 2011 europeu.

  • AP

    Shorts curtíssimos no Verão 2011 da Gucci

Dentro desta tendência, foi como se a roupa masculina tivesse “diminuído”: mangas e barras menores, quase sempre dobradas. Golas cavadas, peitos abertos. Cintos mais finos. Nos pés, também pouco volume: sneakers leves, alpagartas, tênis estilo Ked’s, ou sandálias, deixando para trás os sapatos pesados de temporadas passadas.

A calça curta, que já vem aparecendo nas passarelas há algumas estações, virou tendência de ordem para a maior parte das grifes importantes do evento italiano. Tanto em propostas atrevidas como as criadas por Gucci, Armani e Desquared2 como em versões mais contidas, caso da inglesa Burberry, que encurtou suas peças discretamente. Nas entradas dos desfiles, muitos homens exibiram suas canelas de fora, dando sinais de que a moda tem tudo para pegar. Natural que justo os homens milaneses sejam os primeiros a aderir ao movimento: na alfaiataria, o "estilo milanês" é o dos ternos com mangas e barras de calça mais curtas, chegando a mostrar todo o sapato (leia mais sobre o assunto nesta entrevista).

  • AP

    Muitos tons de azul para o Verão 2011: os dois primeiros looks são da Gucci, o último, da Calvin Klein

No Brasil, quem por acaso se surpreendeu com as calças curtas masculinas do desfile de Alexandre Herchcovitch ou nos horts abusados da grife carioca Reserva no último São Paulo Fashion Week agora têm mais um reforço de coragem para se acostumar e até a desejar um menor comprimento da peça.

“Estamos homenageando mesmo o corpo, é a primeira mensagem que se vê”, disse Giorgio Armani ao UOL Estilo, depois do desfile da Emporio Armani. Não restou dúvidas. O desfile da Emporio foi um dos mais pelados, talvez o grande pelado da temporada. Ficou no ar uma pitada de sadomasoquismo, ritmado pela trilha “Alejandro” de Lady Gaga, com homens de maiôs pretos justos, leggings, sungas ínfimas, postura sexy-militar. “É na juventude que está a beleza e a saúde. Tudo que vai fora disso não serve”, reforçou Armani, cheio de energia em seus quase 76 anos.


Alfaiataria italiana

A valorização da alfaiataria ficou clara nas italianas Versace, D&G, Giorgio Armani e Gucci. Jaquetas e blazers mais estreitos, mas também menos sérios, como propuseram os estilistas Stefano e Domenico, sobretudo para a segunda grife, a D&G. A inspiração deles foi um "sonhado piquenique”. No cenário, muito verde e sons de passarinho mixados ao fundo. Um piquenique aparentemente perto do mar com estampas havaianas vintage e xadrezes pequenos. Os blazers vêm mais relaxados, em tons pastel, ou cores de “sorbet”, como pontuou Guy Trebay, do New York Times: melão, manga, pistache.

Em todas as grifes italianas viu-se muito uma valorização do estilo idealizado do país. Um clima de “dolce vita”, em que rapazes saem, chiques, de Vespa, vestidos de camisa por dentro da calça ou bermuda, em cores claras. “A moda italiana promove, mais do que nunca, o estilo de vida italiano”, comentou o presidente da Camera de Moda Italiana, Mario Boselli.

 

Tudo azul

O azul é a grande cor, acima de todas as cartelas de cores propostas (tons pastéis, coral, chocolate, verde) na fashion week de Milão. Segundo observação da jornalista e especialista em moda Suzy Menkes, do International Herald Tribune, o azul em todos os seus tons. “Embracing the Blues”, é o título de seu artigo publicado em seu blog no International Herald Tribune. O azul parte em várias direções: fechado como um uniforme, celeste e gritante, suave, mas, principalmente, no denim lavado. O denim, que, segundo Menkes, é “popular, decente, normal”. As escolhas são vastas: azul elegante em tons esmaecidos, proposto por Gucci, azul uniforme e escuro em looks monocromáticos, proposto pela Bottega Veneta, azul celeste gritante proposto pela Prada. A escolha é infinita, mas o mais popular (e também espalhado por várias coleções, já encontrado inclusive nas ruas) é o denim lavado.
 

UOL Cursos Online

Todos os cursos